UNTC-CS lamenta o facto de ainda os trabalhadores sofrerem represálias por participarem na manifestação

Cidade da Praia, 06 Mar (Inforpress)- A UNTC-CS classificou hoje de “boa” a participação dos trabalhadores na manifestação dos sindicatos de Santiago, lamentando, no entanto, o sentimento de “medo e represálias” existente no seio dos trabalhadores por reivindicarem os seus direitos.

Esta posição foi manifestada pela secretária-geral da União Nacional dos Trabalhadores de Cabo Verde, (UNTC-CS), Joaquina Almeida, hoje na Cidade da Praia, durante a manifestação dos sindicatos de Santiago, para mostrar o descontentamento dos trabalhadores pelo “não cumprimento das promessas” pelo Governo.

Durante o percurso, os manifestantes gritaram e ergueram cartazes com frases como “exigimos contracto digno”, “mais emprego para os jovens”, “pela dignificação do trabalhador cabo-verdiano”, “exigimos reposição do poder de compra”, “mais respeito pelos trabalhadores”, e “aposentação digna para saúde”, entre outros dizeres.

Joaquina Almeida, que considerou de “boa” a participação dos trabalhadores na manifestação deste sábado, lamentou ainda o facto dos trabalhadores cabo-verdianos não poderem reivindicar os seus direitos livremente, devido às ameaças e represálias.

“A razão desta luta é que os trabalhadores estão fartos das várias promessas que não foram cumpridas. Onde estão o aumento salarial, os 45 mil postos de trabalho para os jovens”, questionou a líder sindical, considerando que os professores, técnicos de saúde, de educação, vigilantes e entre outras classes continuam à espera por dias melhores.

Na ocasião, considerou que são “falsas” as afirmações de que o Partido Africano da Independência de Cabo Verde (PAICV) está por trás desta manifestação, e sublinhou que desde inicio, a equipa da UNTC-CS mostrou a missão reivindicava e de luta pelos direitos dos trabalhadores.

Joaquina Almeida criticou ainda o facto da Plataforma Sindical – Unir e Resgatar a UNTC-CS, liderado para o Aníbal Borges, não tenha participado na manifestação, e considerou a atitude desses sindicalistas de “vergonhosa”.

Na quinta-feira, 04, a Plataforma Sindical – Unir e Resgatar a UNTC-CS demarcou-se da manifestação deste sábado, 06.

Numa nota enviada à Inforpress, o coordenador, Aníbal Borges, alegou que a Plataforma, em representação de 12 sindicatos filiados na UNTC-CS mais o Sindep, “não foram nem tidos nem achados” nesta decisão que “foi tomada pela secretária-geral da UNTC-CS sob capa de sindicatos filiados”.

Trabalhadores de outras ilhas, nomeadamente, São Vicente e Fogo, marcaram também para este sábado, as 10:00, uma concentração na Praça Dom Luís, no Mindelo, e no largo de Cruz dos Passos, em São Filipe, para demonstrar “solidariedade” para com a manifestação dos sindicatos de Santiago.

Fonte: Inforpress