São Vicente e TACV: Sokols entrega abaixo-assinado para repor voos internacionais a protocolo do Primeiro-ministro

O presidente do movimento cívico Sokols 2017 conseguiu, na tarde desta quarta-feira, entregar o abaixo-assinado, com dois mil subscritores, para reposição dos voos internacionais de e para São Vicente ao protocolo do primeiro-ministro e agora espera uma “resposta positiva”.

São Vicente e TACV: Sokols entrega abaixo-assinado para repor voos internacionais a protocolo do Primeiro-ministro
A intenção, segundo Salvador Mascarenhas citado pela Inforpress, era entregar directamente ao chefe do Governo, que, acrescentou, negou o receber por “razões que a razão desconhece e ainda queriam que fosse discretamente”.

“Mas, dissemos que não porque teríamos que ter uma fotografia, que tirámos, para comprovar isso”, lançou.

Esta oportunidade, que tiveram hoje (06/02) na cerimónia de apresentação e consignação do Data Center de São Vicente, uma obra que, segundo a mesma fonte, aplaudem, mas que poderia ser pensada e idealizada com a autonomia das ilhas.

“Porque ele veio cá e bem, desenrolou um rol de projectos para São Vicente, mas temos que parar com essa coisa de toma e é isto que temos para vocês”, considerou, destacando que cada ilha tem que pensar, reflectir e fazer os seus projectos, para “todos juntos fazer um Cabo Verde mais justo”.

Desta forma, conforme Salvador Mascarenhas, o Sokols confia na capacidade de Ulisses como dirigente fazer a “terceira República”, que, ajuntou, só será possível com a regionalização política.

O grupo Sokols entregou, no abaixo-assinado, cerca de duas mil assinaturas, que consideram ser “exemplificativo da vontade das pessoas” em exigir que haja reposição dos voos internacionais da TACV de e para São Vicente.

“Se o Governo não mudar há muitas empresas que irão decair, o desemprego irá aumentar e eles vão ter que mudar e pode ser tarde demais”, alertou, à espera que se mude “o estado das coisas” que está a ser “muito grave” para São Vicente e até para Santo Antão.

Agora , aguardam que Ulisses Correia e Silva responda aos cidadãos e não que continue a dizer que O Governo não tem responsabilidade nesta matéria.

“E é evidente que tem, o Governo governa, porque senão seria um desgoverno. E está a ser muito grave para esta ilha”, concretizou.

No último dia 03 de Janeiro, o líder do Sokols dirigiu-se à representação do Governo em São Vicente para entregar um abaixo-assinado com assinaturas recolhidas durante a manifestação de 26 Dezembro, para exigir a reposição dos voos da TACV para ligar à ilha ao estrangeiro.

Foi recebido no Ministério da Economia Marítima pelo chefe do Gabinete do Ministro, Ildo Rocha, de quem recebeu a informação de que se se tratava de algum documento a ser entregue ao primeiro-ministro deveria então dirigir-se ao Gabinete da Chefia do Governo, o local que julgava ideal para tal, no piso inferior àquele do Ministério da Economia Marítima.

Só que, no piso abaixo, o do Gabinete da Chefia do Governo, não havia ninguém para os atender e, por isso, disseram que iriam tentar assim que Ulisses Correia e Silva viesse a São Vicente, o que aconteceu esta quarta-feira,06.

Fonte: Asemana