Santo Antão: Moradores de Caibros insatisfeitos com troço de estrada anunciado pedem construção de raiz

Ribeira Grande, 28 Jul (Inforpress) – Moradores de Caibros de Ribeira de Jorge dizem-se insatisfeitos com o troço de estrada anunciado pela Câmara Municipal da Ribeira Grande e pedem uma construção de raiz sob pena de boicotarem o arranque da obra.

Segundo disse à Inforpress o morador Pedro Fortes, a população de Caibros “não aceita” que seja construída só um troço de 65 metros e uma praça.

“Não estamos satisfeitos. A Câmara Municipal da Ribeira Grande (CMRG) resolveu presentear-nos, em tempos de pré-campanha, mas não vamos permitir, porque não tem cabimento. Queremos uma estrada de raiz que há muito nos é prometida”, reivindicou Pedro Fortes.

A mesma fonte pontuou que “simplesmente” a CMRG vai calcetar uma parte e fazer uma praça que é para o “benefício de uma pessoa e não da população”.

“A CMRG, com o troço que pretende construir, vai beneficiar uma pessoa e não os moradores de Caibros. Não vamos permitir, vamos impedir que arranquem os trabalhos. Ou fazem a coisa bem feita, que é a estrada de raiz, que nos vai beneficiar em todos os aspectos ou não fazem nada”, explicou Pedro Fortes.

O morador avisa ainda que desta vez a população de Caibros está “consciente e quer mais”.

Segundo Pedro Fortes, todos os anos eleitorais têm “a mesma promessa” e garante que não vão permitir que lhes façam chacota e, por isso, vão dizer “basta” porque se não for uma estrada de raiz não serão 65 metros que lhes vai agradar.

Pedro Fortes questiona os critérios que foram usados para fazer uma estrada de raiz na zona de Cruzinha que, conforme disse, em termos habitacionais “não tem o mesmo potencial que a de Caibros”.

Eleutério Lopes, também morador em Caibros, é da mesma opinião e acrescentou que o orçamento já fala por si.

“Vinte mil contos para a construção de duas estradas, a de João Afonso e a de Caibros, não é nada. Vão tentar remendar um problema criando outros. Aquele troço de 65 metros e a praça não vão beneficiar, em nada, a nossa gente”, afirmou Eleutério Lopes.

A mesma fonte assumiu que a intervenção prevista “não vai ajudar em nada” e que se a estrada não for construída de raiz, a localidade continuará com os mesmos problemas.

Eleutério Lopes contesta a construção da praça “que só será construída para impedir a entrada de terra e fumaça numa certa habitação”, bem como a necessidade da sua construção “num lugar com tantas potencialidades, mas que tem problemas de acesso”.

De referir que a Câmara Municipal da Ribeira Grande já tem autorização para contrair um crédito bancário de 20 mil contos para a construção de acessibilidades nas localidades de Caibros e João Afonso.

A informação foi dada aos jornalistas pelo presidente da câmara Orlando Delgado, no final da sessão extraordinária da Assembleia Municipal da Ribeira Grande, realizada na última sexta-feira, 24, no liceu do Coculi.

Orlando Delgado disse que o município tem ainda muitas zonas encravadas e esses 20 mil contos vão ser investidos no desencravamento dessas duas localidades para permitir maior mobilidade a essas populações.

“Vamos intervir com projectos à dimensão da câmara”, disse Orlando Delgado, apontando as localidades de João Afonso e de Caibros como as beneficiadas, mas assumiu que Caibros é a “prioridade das prioridades”.

Fonte: Inforpress