Presidente do PAICV reúne-se com “rabidantes” e apresenta projecto de relançamento da economia

Cidade da Praia, 23 Mar. (Inforpress) – A candidata do PAICV a primeiro-ministro nas próximas legislativas considerou hoje ser determinante, para a construção da base da economia, garantir o investimento nas pessoas, com mais capacitação, promover a coesão territorial e melhorar o ambiente do negócio.

A presidente do Partido Africano da Independência de Cabo Verde (PAICV-oposição) manifestou esta preocupação esta tarde, durante um encontro de socialização das suas propostas com mulheres empresárias e operadores do sector informal na Assembleia Nacional em “busca da construção de um Cabo Verde para todos”.

Janira Hopffer Almada endereçou uma mensagem virada “para um crescimento económico inclusivo que garanta, efectivamente, impacto na vida das pessoas, empregos dignos, mas sobretudo promova mais prosperidade”.

Sublinhou a necessidade da unificação do mercado, inclusive num novo turismo, nova agricultura, no cluster do mar e das pescas e numa economia do conhecimento e no potencial da economia criativa.

Com o espaço lotado de vendedeiras informais, “rabidantes”, empolgadas com a presença da líder do PAICV, a candidata ao Palácio da Várzea defendeu a sua visão para a economia, na óptica de um crescimento do país com base numa política e numa visão estratégia que traduza na criação dos empregos, com reflexos na melhoria da vida.

Nesta apresentação da proposta para governação, caso mereça a confiança no próximo pleito eleitoral, traçou como primeira prioridade avançar com um programa emergencial de relançamento da economia, mediante articulação e concertação com o sector privado e ao mesmo tempo intervir junto do sistema financeiro.

Isto, segundo a candidata, para que as linhas de créditos “sejam, efectivamente, úteis e tenham impacto na vida destas empresas”.

Comentou que a “a bazuca financeira e a proclamação que o país tinha dinheiro que não acabava mais” não foi sentida por ninguém, vincando que “mais do que discurso importa a prática e a acção realista”.

Voltou a criticar a governação de Ulisses Correia e Silva por entender que “a vida das pessoas não melhorou, pelo contrário piorou”, asseverando que a “economia não sentiu este crescimento que se propalou”, afirmando mesmo ser este o sentimento das pessoas e dos empresários.

A candidata dos “tambarinas”, que almeja tornar-se a 18 de Abril na primeira Chefe do Governo em toda a história do país, defendeu que a pandemia veio contrariar os discursos feitos durante os quatro ano e meio da governação do MpD, ao “demonstrar que não tinha suporte concreto”.

Janira Hopffer Almada volta a socializar o projecto “Cabo Verde para todos” ainda esta tarde com com os homens e mulheres da cultura, num espaço cultural da capital, onde vai manifestar o ensejo do PAICV para que estes “assumam e sintam protagonistas do desenvolvimento e possam contribuir com o seu talento e o seu trabalho, para a prosperidade do País, com partilha e oportunidades para todos”.

Fonte: Inforpress