Parlamento: PAICV questiona Governo sobre políticas para combater o desemprego jovem

Cidade da Praia, 08 Mar (Inforpress) – O Partido Africano da Independência de Cabo Verde (PAICV, oposição) mostrou-se hoje preocupado com a falta de programas direccionados ao emprego jovem, pelo que vai questionar o Governo, no parlamento, sobre as políticas para combater o desemprego.

A posição do PAICV foi manifestada à imprensa pela deputada Carla Lima, indicando que Cabo Verde tem uma taxa “muito alta” de jovens entre os 15 e 24 anos desempregados, ou seja, “um terço desses estão desempregados”.

Conforme avançou, jovens entre os 15 e os 35 anos, 35 por cento (%) não estão a estudar nem a trabalhar e há também uma taxa de subemprego “muito elevada”, 23% dos jovens entre os 15 e 24 anos.

“São dados que nos mostram que há neste momento um problema muito grave em relação à questão do emprego em Cabo Verde e vamos querer ouvir do Governo quais são as políticas a implementar para combater o desemprego juvenil”, assinalou.

De acordo com a deputada nacional, uma das respostas tem sido o empreendedorismo que, no entanto, considerou ser preciso promovê-lo no País.

“Entendemos que o empreendedorismo não pode ser visto como o remédio para todos os males e é preciso criar uma série de condições para que os jovens cabo-verdianos também tenham condições de ser empreendedores”, salientou.

Carla Lima defendeu também que existem vários entraves que se colocam ainda a quem tenha uma ideia de negócio, para quem “devem ser trabalhados” pelas instituições que “o Governo criou para essas matérias”.

“Precisamos pensar em melhores programas de incubação, maior acompanhamento de empreendedores, precisamos também de maior desburocratização da Administração Pública para respostas mais céleres e resolver o eterno problema que é o acesso ao crédito”, afiançou.

Outro assunto sobre o qual o PAICV vai questionar o Governo versa a educação e formação, que, no seu entender, é  um dos “grandes problemas” para a juventude cabo-verdiana.

“Sabemos que muitos jovens que estavam nas universidades e mesmo em cursos profissionais tiveram que abandonar os estudos por causa de problemas económicos, agravados pela pandemia”, advertiu.

Nesta linha, sustentou, isso leva à questão da pobreza e exclusão, sendo que quem não consegue terminar os estudos, não consegue ter acesso também a um emprego digno e a construir um futuro para si.

O debate com o ministro Adjunto do Primeiro Ministro para a Juventude e Desporto, Carlos Monteiro, marca a primeira sessão parlamentar do mês de Março, que arranca esta quarta-feira.

De acordo com o projecto da ordem do dia enviado à imprensa, a sessão vai ser ainda marcada por perguntas dos deputados à ministro da Modernização do Estado e da Administração Pública, indicado pelo grupo parlamentar do PAICV, e pela apreciação de propostas de lei e de propostas de resolução.

HR/ZS

Fonte: Inforpress