JHA. Sonho com o dia em que a igualdade permita às mulheres deste pais exercer o poder

Neste dia 8 de março, Dia Internacional da Mulher, a presidente do PAICV, postou na sua página no Facebook uma mensagem que apela à promoção da dignidade da mulher no lar, no trabalho, na política e na sociedade, em geral.

Janira Hopffer Almada entende que “a luta da mulher pela sua dignidade, para que seja assumida e se imponha como parte inteira no desenvolvimento económico e social das Nações, exercendo em pleno os seus atributos e os mais sagrados direitos políticos consagrados pelas Nações Unidas, vem de longa data” mas também “se torna cada vez mais actual”. Afinal, afirma a presidente do PAICV, “um pouco por todo o lado, a violação do Direito da Mulher à sua plena afirmação tem sido uma prática corrente, com diversas exteriorizações”.

A violência com base no género, diz JHA, “tem sido quotidiana, tanto fisicamente, como psicológica e culturalmente. E ela manifesta-se nas perceções de natureza política, social e económica, da conduta moral, nos espaços da vida familiar e comunitária… Enfim, trata-se de um dos desafios mais críticos que o concerto das Nações tem a enfrentar, no grande dilema de um desenvolvimento humano sustentável”.

Em Cabo Verde, recorda Janira Hopffer Almada, “desde os momentos da luta de libertação nacional e, principalmente, com a Independência Nacional, a gesta libertadora da mulher mereceu sempre grande conforto político do PAIGC/PAICV, num combate firme a resistências, tabus e preconceitos, que, em certa medida, ainda hoje fazem escola na nossa sociedade”.

E hoje, prossegue a líder do PAICV, “podemos orgulhar-nos de grande avanços conseguidos, o que nos estimula a enfrentar, com convicção, os desafios que ainda estão pela frente”. Daí o apelo de JHA neste dia 8 de março “a todas as mulheres do nosso Cabo Verde, aqui e na diáspora, que se juntem, numa só voz, às mulheres de todo o mundo, para acreditar que somos capazes de fazer mais e melhor, por nós próprias e pela nossa dignidade, e, consequentemente, pelo nosso mundo”.

Janira Hopffer Almada manifesta ainda “a absoluta convicção de que a plena dignidade da mulher é condição sine qua non à perenidade do ser humano, num mundo com justiça e elevados índices de desenvolvimento humano”.

Por isso, a sua mensagem “é, de uma forma especial, dirigida, também, ao homem, sem o qual não será possível alcançar esse desiderato. Isto é, não estamos lutando por nós e para nós. A nossa luta incorpora o homem como um verdadeiro companheiro, para que a salvação seja coletiva e inclusiva”.

Uma luta em que as mulheres “de todas as condições sociais, de todos os credos culturais e filosóficos”, podem contar com o PAICV, afirma Janira Hopffer Almada. “Estejam confiantes no nosso compromisso político de sempre, pela plena afirmação da mulher, condição indissociável do nosso projeto político”.

Fonte: Santiagomagazine