Fogo: Fábio Vieira aponta como prioridades da sua governação a coesão social, economia, juventude e diáspora

São Filipe, 19 Nov (Inforpress) – O presidente da Câmara Municipal dos Mosteiros, Fábio Vieira, elencou quarta-feira, no acto da sua investidura, como prioridade da sua governação para 2020/24 a coesão social, a economia, a juventude e a diáspora.

Na sua primeira intervenção na qualidade de presidente da autarquia dos Mosteiros, Fábio Vieira explicou que num mundo cada vez mais desigual é importante engendrar políticas públicas que promovam a inclusão de todos na dinâmica de desenvolvimento como condição para a realização da felicidade plena de todos.

Para o pilar economia este pretende desenvolver um modelo de desenvolvimento económico que promova crescimento e tenha impacto na vida das famílias, criando emprego e rendimento, propondo a empresarialização do sector agropecuário, desenvolvimento da fileira da pesca e promoção de um turismo cultural e de natureza.

Para a juventude, que representa o futuro do município, o presidente eleito propor nova abordagem para o sector, mas também dedicar atenção a questão da qualificação, acesso ao rendimento e à habitação jovem, enquanto para a diáspora, que segundo o mesmo representa um grande activo de desenvolvimento dos Mosteiros a apostar é potencializar os investimentos dos emigrantes de modo a criarem valores e gerarem riquezas e mais emprego.

Fábio Vieira, que prometeu ser presidente de toda a população, sem excepção, afirmou que “a campanha acabou, o tempo é de trabalho, é hora de ousar e de inovar mais, é hora de transformar mais”. Asseverou que tentará não apenas desiludir como enobrecer a função de presidente da câmara dos Mosteiros.

Não obstante a conjuntura que se vive marcada pela pandemia da covid-19, o novel autarca adiantou que vai conceber um modelo de gestão municipal baseado na utilização estratégica dos recursos endógenos e no aproveitamento de todas as capacidades locais, na potenciação da dinâmica diáspora, no reforço da solidariedade e da cooperação para o desenvolvimento local.

Num discurso emotivo com cerca de 20 minutos de duração, este lembrou que o poder local é para servir as pessoas e que por isso exigirá sempre dos seus serviços o bom atendimento, sublinhando que “actuação na gestão municipal terá sempre por base três princípios: determinação, rigor e transparência, porque é necessária a credibilização da gestão do município perante as instituições e os cidadãos”.

Para construir um município mais seguro, confortável, inclusivo e com mais oportunidade, Fábio Vieira, espera contar com “a cordialidade, diplomacia e a boa relação com o Governo” que esteve representado no acto pelo ministro-adjunto do Primeiro-Ministro e da Integração Regional, Rui Figueiredo Soares, visando garantir condições objectivas e subjectivas para a realização da felicidade dos mosteirenses.

Este reiterou que quem está revestido do poder de decidir não pode esquecer que a grande virtude está no saber ouvir, observando que com abertura do espírito nunca invocará a tolerância democrática para adiar a resolução de problemas, para protelar decisões ou para atrasar soluções.

O presidente reeleito da Assembleia Municipal dos Mosteiros, Lúcio Fernandes, que presidiu à sessão de instalação dos órgãos autárquicos prometeu tudo fazer para não desmerecer a confiança, mas também ser um presidente de todos os munícipes dos Mosteiros.

“A campanha eleitoral terminou e a partir de agora estamos no mesmo barco, cada um com a sua função, para trabalhar para o desenvolvimento dos Mosteiros”, disse Lúcio Fernandes que pediu aos eleitos para estarem à altura das responsabilidades e do mandato conferido, não defraudar assim os eleitores.

Este afirmou que a assembleia municipal vai funcionar em estrito cumprimento das normas e do regimento, esperando da câmara a colaboração institucional de forma a facilitar o seu funcionamento, prometendo tudo fazer para que a câmara tenha todos os seus instrumentos de gestão, mas fiscalizará de forma imparcial a câmara no interesse da coisa pública e do desenvolvimento do concelho.

Do Governo da República, este espera que seja o maior parceiro do desenvolvimento de Mosteiros, deixando claro que este órgão exigirá tudo que o município tem direito, dentro de um quadro institucional e de parceria.

A nova mesa da Assembleia Municipal dos Mosteiros, saída da lista única apresentada pelo PAICV, foi aprovada por unanimidade dos eleitos municipais presentes no acto de investidura, é constituída por Lúcio Fernandes (presidente), Manuela Barbosa Lopes (vice-presidente) e Adilson Martins (secretário).

O Movimento para a Democracia não apresentou nenhuma proposta da composição da mesa, mas também não colocou qualquer reserva em relação à proposta do PAICV.

Fonte: Inforpress