Bram-bram na Câmara da Praia

Dizem as más-línguas que a equipa de Óscar Santos começa a tremer na Praia. É que há muito bram-bram por aí. Além do caso das obras da Praça de Palmarejo que PP mandou para o Tribunal, há quem admita que várias outras situações menos claras podem vir ao público neste ano de pré-campanha. E estão dar que falar as broncas, com indícios de falta de transparência, na venda de terrenos municipais. A par disso, há o escandaloso caso de derrapagem financeira no Mercado do Coco – começou quando o actual PM Ulisses Correia e Silva era presidente da Câmara da Praia. De 330 mil contos iniciais, o custo da obra pode disparar para 1 milho 350 contos, valor aproximado ou superior ao orçamento anual da Câmara de S.Vicente. Como brinca um capitalino, é dinheiro pa xuxu enterrado naquele espaço! Nos boka ka sta lá!

Bram-bram na Câmara da Praia
Taxistas e promessas
Os taxistas estão xatiado si com a Câmara da Praia. Diariamente confidenciam aos passageiros que se arrependeram de ter apoiado o Edil Óscar Santos. É que, a par do fraco movimento de dinheiro que se regista na Capital, queixam-se que a Câmara anda a passar licenças de taxis para empresas, alegadamente próximas ao partido no poder e/ou empresários amigos, deixando a classe de taxistas a ver o navio passar. O pior, denunciam eles, aconteceu com taxistas de vários anos de trabalho que tinham procuração e negócio de compra de viaturas com licenças junto do banco. Eles estão praticamente no desemprego e sem viatura, porque a Câmara mandou caçar tais licenças e distribuí-las a pessoas/entidades da sua preferência. Por isso, muitos consideram ki kuzas sta mariadu e avisam que estão no tchom di Praia à espera, na próxima campanha, do Edil Óscar Santos e sua equipa!

São Lourenço e protestos com negra bandeira
O Edil de São Lourenço dos Órgãos que se cuide. O homem que vive durante esta legislatura de costas voltadas ao povo, vai sofrer, nos dias 26 e 27, novos e fortes protestos. Com manifestação e greve de funcionários municipais convocados pelo SINDEP e SICASA, vários residentes vão sair à rua para exprimirem o seu desagrado com a administração do Edil Carlos Vasconcelos, com a demora da Justiça laboral e o silêncio da Assembleia Nacional. Porque muitos estão a passar fome por causa do Presidente da Câmara que mandou reduzir os seus salários abaixo do rendimento mínimo fixado na lei – Tribunal não decide sobre o problema – muitos avisam que vão participar trajados de preto na passeata, como aconteceu, em tempos da fome, com o lendário Capitão Ambrósio de S.Vicente. Ameaçam que, enquanto o problema não for resolvido, passam a protestar sistematicamente como vem acontecendo com o movimento de coletes amarelos em França. O recado está dado, através do Radar, a quem de direito!

Fonte: Asemana