Ainda sobre a Geringonça Marítima em Cabo Verde (golpe)

Se antes a Transinsular SA vinha da Europa para os portos de São Vicente, Praia, Sal e ás vezes Boavista descarregar contentores com o mesmo navio, agora tem a vida facilitada a introdução do navio Lagoa, da Transinsular Cabo Verde Lda de longo curso, capacidade para 375 contentores e registado com a bandeira nacional, (cabotagem) construção de (1997) (22) anos quando devia ser de menos de 15 anos e fazendo parte da nova empresa. E já está a trabalhar…preocupante!

Tudo muito simples! Vem um navio maior, como o LEONIE P, (afretado) descarrega todos os contentores em São Vicente ou na Praia, mas creio que será em São Vicente, embora 60% de contentores (cargas) são para Praia, mas por outro lado São Vicente fica mais a Norte, e a partir de um desses portos definido pela empresa, o navio Lagoa fará a distribuição dos contentores para Praia, Sal, Boavista, Guiné Bissau, Mauritânia e outro Países vizinhos.

Resultado: não vai haver cargas para Praia da Aguada, 13 de Janeiro e outros, a não ser pequenas encomendas ou bidões dos EUA. Mesmo cimento, sacarias, vão transportar em contentores e maquinarias e cargas pesadas para outras ilhas.

Os armadores nacionais vão ter de conformar-se com transporte de passageiros e ver navios atracados. E também representa prejuízo para Enapor.

Sinceramente ainda não entendo este acordo? Nós não precisamos da Transinsular na cabotagem! E ainda com 51% da sociedade! Estranho.

Temos armadores com muita capacidade técnica e experiência de muitos anos, caso do Polar, (comandante Viula), e sua equipa de profissionais, como que se deixaram levar nesta geringonça.

Exemplo, só o Praia de Aguada (1999) vale muito mais que o Navio Lagoa, sem falar dos catamarãs, do navio 13 de Janeiro, para não falar dos restantes armadores.

Quem devia ter 51% era o Estado e aos poucos venderia as quotas aos armadores nacionais. Temos barcos suficientes precisamos de uma boa coordenação.

Fala-se nos próximos 2 anos para estabilizar as ligações marítimas inter-ilhas….?

Tenho uma sugestão: o Governo mandava construir 3 ou 4 navios do tipo os Vento, (os melhores navios da história de Cabo Verde) naturalmente um pouco maiores, com câmaras de frio (verduras) e de congelação até 30 M3, capacidade para 100 passageiros 400 toneladas líquida de carga, uma grua de 40 toneladas (180º) e com duas máquinas em linha capacidade deslocação entre 12/15 nós e tudo resolvido para os próximos 20 anos, e até podia-se desfazer (vendê-los) dos atuais catamarãs e ficaria sobre gestão de Nacionais.

A Transinsular SA tem dificuldade em renovar a frota. O próximo barco a vir será o Ponta de Sol, já que querem dominar a costa africana a partir de São Vicente ou Praia,

E sabem porquê que os Barcos deles estão registados no MAR (Madeira)?

Artigo publicado pelo autor, Carlos Cavaco, na sua página do facebook

Fonte: Santiagomagazine