São Vicente: Janira Hopffer Almada encontra-se com armadores da marinha mercante e critica solução para transportes marítimos

Mindelo, 06 Fev (Inforpress) – A presidente do Partido Africano da Independência de Cabo Verde (PAICV, oposição), Janira Hopffer Almada, encontrou-se hoje com os armadores da marinha mercante e criticou a solução encontrada pelo Governo para os transportes marítimos.

Conforme a líder da oposição, em declarações à imprensa após o encontro na manhã de hoje, na sede da Associação dos Armadores de Marinha Mercante, no Mindelo, este enquadra-se nas visitas que o partido tem feito no final da legislatura, em que importa fazer um balanço das promessas do Governo e dos resultados das suas implementações.

“Vim saber do estado de arte dos transportes marítimos, porque é uma questão que afecta todo o Cabo Verde”, esclareceu, adiantando que “o povo de Cabo Verde ouviu no início do mandato que seria um sistema de transporte marítimo eficiente, eficaz, seguro, com custos reduzidos e que haveria uma solução para os transportes marítimos em Cabo Verde”,

Janira Hopffer Almada acredita que, após quase cinco anos, nada disso se verifica e apontou o facto de a concessionária ser uma empresa de capital maioritariamente estrangeiro e que trabalha com seis embarcações, sem nenhum ser da sua propriedade da empresa e sendo todos fretados.

“Não se percebe como é que uma concessão que terá sido justificada a uma empresa por ter mais capital, mais ‘know how’, mais experiência não tenha conseguido de facto ter um único navio como sua propriedade para dar corpo a essa solução”, sublinhou a mesma fonte, para quem é “preciso perguntar aos cabo-verdianos se estão mais bem servidos do que há cinco anos a nível dos transportes marítimos”.

A presidente do PAICV disse ter aproveitado para partilhar a perspectiva do partido sobre os transportes marítimos e aéreos, que, considerou, “não é uma questão apenas financeira, mas é uma questão de soberania, de coesão territorial e de mobilidade de pessoas e cargas”.

“Queremos um sistema de transportes marítimos, que seja seguro, célere, previsível, eficaz e por isso mesmo defendemos que devemos encontrar soluções de financiamento, que permitam aos armadores nacionais fazer a renovação da frota e poder assim dar o seu contributo nesse processo de desenvolvimento do País”, elucidou.

Por outro lado, não se entende, segundo a mesma fonte, como o actual Governo “tem disponibilidade para dar avales e garantias a esta empresa de capital maioritariamente estrangeiro e se recusou, no entanto, a avançar com avales e garantias para os armadores nacionais poderem renovar a sua frota”.

Agora, di-lo Janira Hopffer Almada, os cabo-verdianos podem acompanhar e escolher a melhor proposta que “sirva Cabo Verde e que sirva melhor o interesse dos cabo-verdianos”, sustentou.

Entretanto, conforme a mesma fonte, o actual Governo já está a dar um pouco de razão ao PAICV relativamente às críticas e chamadas de atenção, uma vez que anunciou que vai rever o contrato de concessão.

A líder partidária continua a visita de dois dias à ilha de São Vicente com um encontro na tarde deste sábado com a Federação das Mulheres de Cabo Verde.

Fonte: Inforpress