São Vicente: Grupos de mandingas estudam possível boicote ao carnaval

A informação foi confirmada ao A NAÇÃO, na manhã desta terça-feira (20), pelo presidente dos Mandingas da Ribeira Bote, Tau.

Os grupos de Mandingas da ilha de São Vicente estão estudando um possível boicote ao desfile de Carnaval de 2019. A informação foi confirmada ao A NAÇÃO, na manhã desta terça-feira (20), pelo presidente dos Mandingas da Ribeira Bote, Tau.

A recente polémica envolvendo a Liga Independente dos Grupos Oficiais do Carnaval (LIGOC-SV) e os grupos carnavalescos, Estrelas do Mar e Vindos do Oriente, continua a dar que falar.

Desta feita os grupos de Mandingas de São Vicente são chamados ao barulho. Estes estão estudando um possível boicote ao desfile do carnaval Mindelense. Ao que tudo indica, em solidariedade aos grupos carnavalescos.

Abordado pelo A NAÇÃO, o presidente do grupo Mandingas de Ribeira Bote, Tau, confirmou a informação, deixando ainda alguns reparos.

“Temos uma reunião com todos os grupos de mandingas marcada para esta terça-feira, mas ainda não decidimos o que é que faremos. Qualquer que seja a nossa posição oficial, esta será conhecida ainda hoje. Mas o certo é que os grupos e a LIGOC-SV nem se lembram se existimos”, atirou Tau.

Isto tudo vem na sequência da decisão da LIGOC em excluir o grupo Estrelas do Mar do desfile oficial de Carnaval de 2019, por alegadamente não preencher todos os requisitos fixados pela LIGOC-SV.

Em solidariedade, o grupo Vindos do Oriente tornou pública a sua pretensão de também não desfilar. Em declarações à RCV, a presidente do Vindos do Oriente disse discordar das «imposições» que vêm sendo feitas pela direcção da LIGOC-SV. Lili Freitas criticou o facto da LIGOC-SV querer impor que os grupos desfilassem como se faz em certos países estrangeiros. Perante a ausência de um entendimento com a Liga, Freitas disse que o Vindos do Oriente não desfila em 2019.

Fonte:A Nação