São Domingos: Autarquia quer qualificar produtores de grogue para atingirem mercado internacional

Cidade da Praia, 07 Dez (Inforpress) –  O presidente da Câmara Municipal de São Domingos considerou hoje que é necessário qualificar os produtores locais para que os seus produtos estejam no mercado turístico e cumpram com “todas as exigências” nacionais e internacionais.

Isaías Varela fez esta consideração à imprensa, depois de presidir a cerimónia de abertura de uma acção de formação dos produtores de São Domingos sobre boas práticas de produção do grogue, realizada pela Câmara Municipal de São Domingos, em parceria com a Direcção Nacional da Indústria, Comércio e Energia.

Segundo o autarca, a ideia é criar uma marca “made in São Domingos”, não só de grogue, mas também de todos os produtos locais no domínio de artesanato e artístico, com vista a dar “mais visibilidade” e fazer com que alcancem “outros patamares”, ou seja, o mercado internacional.

Para o alcançar, frisou, é fundamental este tipo de capacitação para que possam estar “melhor qualificados e preparados” para cumprirem com as exigências do mercado nacional e internacional.

“Se queremos que atinjam o mercado turístico, com certeza, temos que qualificar o nosso produtor para que cumprem com as exigências do mercado e também para lançar o sector primário, que é um sector com grande potencialidade no concelho de São Domingos”, afirmou.

Antes de a câmara ser um agente de fiscalização, afirmou que a autarquia quer ser um parceiro dos produtores, pois “é fundamental promover a economia local”, mas também é necessário “promover o bem-estar social e ambiental” do município.

“Se queremos promover a saúde pública temos que fiscalizar e não devemos compactuar com produções fora daquilo que é exigido pela lei, por isso, antes de fiscalizarmos, que pode traduzir em coimas, caso há incumprimentos, primeiro temos de capacitá-los, informá-los, orientá-los”, sublinhou.

Por sua vez, a vereadora da área de Indústrias, Comércio, Empreendedorismo e Ambiente, Zuleica Rodrigues, disse que com esta formação a ideia é tentar organizar os produtores numa associação, já que, actualmente, “a maioria produz de forma não formal”.

Por outro lado, o objectivo é de ajudar os cerca de cem produtores do concelho a qualificarem-se e a agregarem valor aos seus produtos, de forma a cumprirem todos os requisitos locais impostos na lei e conseguir atingir requisitos previstos nos outros mercados.

Para os produtores, a formação é uma mais-valia naquilo que pode ser a qualificação dos seus produtos e higienização das unidades de produção, mas é necessária, avançam, uma “maior fiscalização” por parte da Inspecção Geral da Actividade Económica (IGAE), depois do período de produção.

O período de produção do grogue em Cabo Verde é de 01 de Janeiro a 31 de Maio, mas segundo os produtores José Fernandes e João Mendonça há registo de incumprimentos por parte de muitos produtores que têm continuado a produção mesmo depois deste período.

“Quando a lei é para um é para todos (…) e quando um encerra a produção todos têm de encerrar. Assim como eu tenho reparado que alguns não têm fechado, as autoridades também devem estar a ver (…) e os que continuam a produzir no mês de Julho é claro que não estão a produzir com qualidade porque a cana-de-açúcar não está madura o suficiente”, denunciou José Fernandes.

A mesma fonte disse ainda ter em estoque as produções de 2019 e 2020, isto porque não tem conseguido colocar os seus produtos nas outras ilhas, e aproveitou parta pedir que sejam estabelecidos os critérios de envio dos produtores para todo o mercado nacional.

“A produção está parada, mas o grogue continua a ser feito (….) e não é de qualidade, e nós que temos o nosso grogue de qualidade, não conseguimos vender  porque ainda o grogue de má qualidade continua a ser vendida”, disse o produtor d’ Água d´Gato João Mendonça, que apela ao IGAE para fazer uma “maior fiscalização” em todos os concelho do País.

Esta acção, que decorre hoje e terça-feira, 08, na Delegação Municipal de Milho Branco, acontece no âmbito do plano de melhoria da produção e comercialização do grogue de cana-de-açúcar, aprovada pela resolução nº 87/2018, de 22 de Agosto, e que estabelece o plano de implementação do quadro legal sobre a produção do grogue.

Fonte: Inforpress