Santo Antão: Situação dos santantonenses “mais complexa e preocupante” com a seca e pandemia – PAICV

Porto Novo, 28 Jul (Inforpress) – A situação da ilha de Santo Antão tornou-se “mais complexa e preocupante” com a seca dos últimos três anos, agravada com os efeitos da pandemia de covid-19, alertou hoje a comissão política regional do PAICV (oposição).

“Preocupante, uma vez que, por falta de investimentos no sector agrícola, particularmente na mobilização de água, a produção agrícola tem sido fraca”, justificou o presidente da comissão política regional do PAICV em Santo Antão, Saturnino Baptista, em conferência de imprensa.

O líder regional do PAICV alertou para “o aumento do desemprego” na ilha por causa da pandemia do novo coronavirus.

Com o surto de covid-19, “os empreendimentos turísticos fecharam as portas, os serviços dos transportes reduziram drasticamente e os operadores informais viram privados de exercer as actividades do seu ganha-pão”, avançou este responsável.

O desemprego aumentou, sobretudo, na camada jovem, avisou Saturnino Baptista, que adiantou que muitos jovens perderam o emprego e que “as medidas adoptadas pelo Governo não surtiram o efeito desejado”.

“Consequentemente, a pobreza tem aumentado na ilha” sublinhou a mesma fonte, que chamou ainda a atenção para a situação de aflição dos pais e encarregados de educação, que perderam rendimentos e que não têm conseguido “honrar os compromissos” com os filhos a estudar fora da ilha.

“Enquanto muitas famílias passam por dificuldades, o primeiro-ministro e o seu governo preocupam mais com as eleições autárquicas, que acontecem daqui a três meses”, considerou Saturnino Baptista, referindo-se à recente visita de quatro dias do chefe do Governo a Santo Antão “apenas para ver obras”.

Ulisses Correia e Silva, no entender do líder regional do PAICV, “não se preocupou em ver, nem ouvir das próprias famílias a situação concreta em que elas se encontram”.

A menos de um ano do término do mandato do Executivo suportado pelo MpD, o PAICV em Santo Antão entende que o actual Governo “falhou com os compromissos assumidos” com esta ilha.

“Só para elucidar”, o PAICV recorda “alguns desses compromissos tantas vezes badalados nas campanhas eleitorais”: aeroporto de médio porte, segunda fase do porto do Porto Novo, cais de pesca, anel rodoviário, instituto de ciências agrárias e combate à praga de mil pés, “sem falar de milhares de empregos dignos para os jovens”.

Assim, “com este cenário”, o presidente da comissão política regional do PAICV faz “balanço francamente negativo” do Governo com relação a Santo Antão e que, no seu entender, a visita do primeiro-ministro “mais não foi do que uma acção de pré-campanha para ajudar os presidentes das câmaras com lançamentos de obras de improviso, a três meses das eleições autárquicas”.

Fonte: Inforpress