Santo Antão: População de Caibros revoltada ameaça boicotar eleições municipais se estrada não for construída

A revolta está a tomar conta da população de Santo Antão. É que residentes do vale de Caibros, no Município da Ribeira Grande, ameaçam boicotar as próximas eleições autárquicas, caso as suas reivindicações não sejam satisfeitas, com destaque para a construção da estrada de penetração naquele vale.Este facto político não teve, no entanto, o destaque com tratamento merecido nos noticiários da Rádio e Televisão públicas.

Santo Antão: População de Caibros revoltada ameaça boicotar eleições municipais se estrada não for construída
O Chefe do Estado de Cabo Verde viveu, nesta quarta-feira,05, momentos agitados ao visitar a localidade de Caibros. Conforme testemunhas oculares, a população desta aldeia rural da Ribeira Grande de Santo Antão manifestou, de forma firme e enérgica, o seu descontentamento perante os problemas locais, ao avisarem Jorge Carlos Fonseca que vão boicotar a participação dos moradores nas eleições municipais de 2020, caso a estrada da penetração naquele vale não seja construída pelos poderes públicos.

Segundo o porta-voz Paulino Brito (foto no interior da peça), citado pela Inforpress, o emprego para os jovens da localidade, muitos com formação em várias áreas, como forma de evitar o êxodo rural e o consequente despovoamento do vale, é outra das reivindicações da população de Caibros. Isto sem contar com o pagamento da taxa da RTC, cujas emissões da TCV sequer chegam conveniente à essa aldeia.

Jorge Carlos Fonseca reconheceu, no entanto, o direito das pessoas em optarem por não exercerem o direito de voto, mas entende que esse é um recurso para situações extremas que, adiantou, “não tem efeitos positivos”.

Esta exigência com a ameaça de boicotar as próximas eleições autárquicas nos Caibros foi apresentada ao Presidente da República durante a sua vista àquele vale. Mas este facto político não teve o destaque com tratamento merecido nos noticiários da Rádio e Televisão públicas – passou quase despercebida.

Para analistas atentos, este caso constitui, em pleno ano pré-eleitoral para as autárquicas de 2020, um forte protesto ao desempenho da Câmara Municipal da Ribeira Grande, que vem sendo chefiada por Orlando Delegado – está no término de três mandatos consecutivos (15 anos), suportado politicamente pelo MpD. Aqui na Ribeira Grande de Santo Antão nunca aconteceu mudança política na liderança do concelho – tanto o ex-presidente Jorge Santos como o atual edil Orlando Delgado pertencem ao movimento ventoinha no poder.

Fonte: Asemana