Santiago Norte: PAICV diz que dados do INE sobre mercado do trabalho contrastam com a felicidade prometida pelo MpD

Pedra Badejo, 04 Abr (Inforpress) – O presidente da Comissão Política Regional (CPR) do PAICV de Santiago Norte afirmou hoje que os dados do INE sobre mercado de trabalho 2018 contrastam com a felicidade prometida aos cabo-verdianos pelo governo do Movimento para Democracia (MpD, poder).

“Na verdade, os dados apresentados não nos apanharam de surpresa, só vieram confirmar o que a CPR do PAICV de Santiago Norte vinha alertando. Sabemos que os três anos da governação do MpD associados as ausências de investimentos económicos poderiam traduzir em consequências gravosas na dinâmica económica e social da região. Hoje Santiago Norte está na cauda de todos os indicadores a nível do país e com muitas famílias em situação de vulnerabilidade”, declarou António Fernandes.

Este dirigente do principal partido da oposição falava em conferência de imprensa em Pedra Badejo, no concelho de Santa Cruz, para reagir sobre os últimos dados do INE sobre o mercado de trabalho na região Santiago Norte e a situação difícil das famílias na região.

Afirmou que os dados recentes demonstram uma situação “deveras complicada e reiteradamente degradante” em relação aos indicadores inerentes ao mercado de trabalho no contexto nacional e no contexto da região Santiago Norte.

Segundo ele, os dados demonstram ainda que a taxa da actividade económica em todos os seis municípios da região Santiago Norte estão abaixo da média nacional, que todos apresentam valores da taxa de emprego abaixo da média nacional e que a taxa de desemprego aumentou de forma “gravosa e generalizada” em cinco dos seis municípios da região.

Conforme lembrou, os dados dizem que em Santa Cruz a taxa de desemprego passou de 6,2 por cento (%) em 2017 para 22% em 2018, um agravamento de 15,8%. Em São Salvador do Mundo passou de 10,3% em 2017 para 20% em 2018. Em São Lourenço passou de 6,9% para 11% e em São Miguel de 10,1% para 15%.

No caso particular de Santa Cruz, concelho com a maior taxa de desemprego no contexto nacional e onde a taxa quase que quadruplicou de 2017 para 2018, de acordo com os mesmos dados, no entender de António Fernandes deve-se à “pouca sensibilidade em lidar com a repartição dos recursos”.

Outrossim, segundo ele é o facto de mesmo sendo [Santa Cruz] um município que mais tem contribuído no abastecimento mercado nacional com produtos agrícolas, “hoje não pode contar com a solidariedade necessária do governo do MpD num contexto do mau ano agrícola”.

“Como pode se entender que numa economia que cresce, assiste-se o aumento expressivo da taxa desemprego na segunda maior região do país? Como se pode entender que o governo não fez o necessário para evitar a destruição de milhares de postos de trabalho nos últimos dois anos em Santiago Norte?”, questionou o Partido Africano da Independência de Cabo Verde (PAICV, oposição).

Entretanto, o PAICV diz acreditar que Santiago Norte estaria num outro patamar de desenvolvimento se o governo do MpD reforçasse o sector das pescas como também reclamam os operadores, desse continuidade a política de mobilização de água que vinha sendo implementada pelo governo do PAICV, desse maior atenção aos investimentos na agricultura e a devida atenção ao sector da juventude e desporto.

“Mas, ao que parece, o governo do MpD já botou a toalha ao chão no que diz respeito à implementação de políticas públicas que contribuem para o desenvolvimento de Santiago Norte”, lamentou.

Fonte: Inforpress