Salenses desconfiados com redução de testes e casos de Covid-19: DS nega ligação com a anunciada abertura turística

Adiminuição dos testes de Covid-19 e, consequentemente, de casos confirmados de infecção pelo novo coronavírus na ilha do Sal está a deixar os salenses desconfiados. Estes temem que se trata de uma estratégia política para propiciar a retoma da atividade turística em Cabo Verde, que se espera venha acontecer já a partir de 15 de Dezembro. Mas, o Delegado de Saúde da ilha, José Rui Moreira, garante que esta diminuição não tem qualquer ligação com a anunciada abertura do país ao turismo.

Foram várias as pessoas do Sal que abordaram o Mindelinsite preocupadas com a repentina redução de casos novos de Sars-Cov-2 na ilha. Citam, como exemplo, os comunicados do Ministério da Saúde e Segurança Social que mostram uma queda drástica do número de testes realizados. Dizem ainda que as clinicas que antes realizavam testes também suspenderam esta pratica, ao que tudo indica por determinação “superior”. “É nítido para todos que estão a realizar menos testes do que no início da pandemia. Estão a recolher amostras apenas em pessoas que pretendem viajar. Acredito que isso tem a ver com a anunciada abertura turística para que o número de positivos possa reduzir e a ilha receber os visitantes”, diz uma fonte, sob anonimato.

Um outro vai ainda mais além e lembra que antes as equipas da Delegacia de Saúde estavam nas ruas e iam às comunidades. Mas agora os testes são feitos apenas em pessoas identificadas e com “motivos fortes”. “Acho difícil que o vírus tenha desaparecido da ilha do Sal. Admito que, por sermos uma ilha com uma população muito jovem, a maioria das pessoas contaminadas possam ser assintomáticas. Sabemos que o PCR é um teste caro mas, no caso, é recomendável testar e não presumir”, afirma uma outra fonte, que destaca o facto de as fronteiras internacionais terem sido abertas mas, pelo menos por enquanto, nenhum avião ter aterrado no aeroporto do Sal. “Somos uma ilha turística, mas a maior parte dos nossos visitantes vêm da Europa, que está a enfrentar a segunda vaga da Covid-19 e desta vez mais mortífera.”

O Delegado de Saúde admite que houve uma redução do número de testes PCR. Segundo José Rui Moreira, se antes testavam qualquer caso suspeito, hoje são submetidos a este exame apenas os pacientes com sintomas, os contactos directos de casos confirmados e também as pessoas que vão viajar. “O teste PCR não é feito em quem quer. Tem de ser feito em quem realmente precisa. Neste momento não temos casos novos na ilha – há apenas um activo em quarentena domiciliar – , por isso a redução do número de testes, até porque não há contactos e não precisamos fazer buscas”, afirma.

Este alega que o laboratório de virologia da ilha não funciona nos fins de semana. Exactamente por isso não apresenta resultados na segunda-feira. Já em relação aos restantes dias da semana, diz, são feitos poucos exames e os resultados, na sua maioria, são negativos. “Antes fazíamos 200 a 300 testes rápidos para viagens. Destes, cerca de 10% davam IgG e IgM, ou seja, indicam que o paciente teve infecção e ainda tinha anticorpos no organismo. Estes eram submetidos a PCR e o resultado era positivo. Mas estes foram suspensos. Hoje fazemos apenas testes rápidos para as pessoas que vão viajar para Santiago. Lá fazem o PCR e ficam em confinamento.”

Moreira diz entender as preocupações das pessoas, mas nega que a diminuição do número de testes realizados e, consequentemente de casos novos de Covid-19, tenha ligação com abertura do país ao turismo.

No debate parlamentar sobre “As respostas sanitárias, económicas e sociais para o novo contexto da pandemia da Covid-19”, o Primeiro-ministro afirmou que o Governo prevê o regresso dos turistas às ilhas do Sal e da Boa Vista a partir de 15 de Dezembro. “Tudo aponta, se tudo correr bem, que em princípios de Dezembro poderemos ter os primeiros operadores para essas ilhas. Todos os dados apontam que a 15 de Dezembro poderemos ter o começo da chegada de turistas de que tanto essas ilhas precisam para podermos começara reativar o emprego e a actividade económica”, anuncia.

Por coincidência, Sal e Boa Vista são as duas ilhas que reduziram drasticamente os casos de Covid-19, pelo menos a nível oficial.

Fonte: Mindelinsite