Sal: Démis Almeida considera que actual desempenho da Câmara está “muitíssimo aquém” daquilo que se comprometeu fazer

Espargos, 28 Jan. (Inforpress) – O ex-ministro da Presidência do Conselho de Ministros, com tutelava o sector da Comunicação Social, num dos governos do PAICV, considera que o desempenho da actual equipa camarária está “muitíssimo aquém” daquilo que se comprometeu fazer.

Démis Almeida, que foi também líder da Comissão Política do PAICV no Sal, fez estas considerações durante uma entrevista à Inforpress, lembrando que o edil, Júlio Lopes, dissera que teria “todas” as condições para fazer a ilha do Sal dar um salto qualitativo em todos os níveis e esferas de desenvolvimento.

“Ele prometeu que 50 por cento da taxa turística, produzida no Sal, ficaria no Sal, que 60 por cento da taxa ecológica produzida no Sal, ficaria no Sal, que viria a taxa aeroportuária, a taxa rodoviária…e que com as demais fontes de receita, teria um orçamento que em média era de 600 mil contos anuais, teria mais de 500 mil contos para investir”, exemplificou, recordando ainda que Júlio Lopes prometera investir, de uma assentada, três milhões de contos no Sal.

Prosseguindo nas lembranças de promessas de campanha, Démis Almeida sublinha que o autarca Júlio Lopes teria prometido, “com esse dinheiro todo”, resolver o problema de habitação social em quatro anos.

Entretanto, o balanço que se faz nessa matéria, conforme afirmou, é que se trata da “pior situação” habitacional no Sal “jamais vista”, ao longo do municipalismo nesta ilha.

“Ele disse que em quatro anos não haveria uma única casa de chapa na ilha do Sal. Bem, ele já está a menos de seis meses do final do seu mandato e o balanço que temos nessa matéria é que é a pior situação habitacional no Sal, jamais vista ao longo do municipalismo nesta ilha.

“Ele é o presidente de câmara que tem o pior desempenho nesta matéria. Não construiu uma única casa de raiz”, reiterou, enumerando várias outras promessas não cumpridas, destacando a situação em que se encontra a cidade de Santa Maria.

“Prometeu transformar a cidade de Santa Maria numa cidade turística de referência internacional, veja qual é o estado da cidade de Santa Maria, suja, o ordenamento do território continua por fazer (…). O senhor presidente da Câmara Municipal do Sal falhou no essencial das suas promessas”, considerou.

Démis Almeida vai mais longe, ainda, asseverando, que Júlio Lopes é um presidente sem autoridade política.

“Pessoalmente, não tenho nada contra ele, vai ter que me desculpar, mas não tem autoridade nenhuma. Parece-me que é mau e é grave, para uma ilha com a complexidade da ilha do Sal, ter um presidente de câmara que, manifestamente, não tem autoridade política e que as pessoas não o levam a sério”, comentou.

“Tenho simpatia pessoal por ele, mas ele não tem jeito para ser presidente de câmara municipal do Sal, porque falta-lhe características essenciais para tal, e a ilha tem sido prejudicada por conta disso”, enfatizou.

Démis Almeida conclui, dizendo que a ilha do Sal “não tem rigorosamente nada a ver com aquela ilha que se quer passar, vender na página de faceboock da Câmara Municipal do Sal. Quem vive aqui nesta ilha sabe disso”, finalizou.

Fonte: Inforpress