Praia: Vereadora considera “grave“ o abandono da sala dos eleitos do MpD na primeira reunião da câmara

Cidade da Praia, 04 Dez (Inforpress) – A vereadora das Finanças da Câmara Municipal da Praia considerou hoje “grave” o abandono da sala dos eleitos do MpD, na primeira reunião ordinária da autarquia, apontado não haver razões que justifiquem o incidente.

Dúnia Duarte fez esta intervenção à imprensa, reagindo ao abandono da sala de três vereadores eleitos pelo Movimento para a Democracia (MpD), na primeira reunião ordinária da Câmara Municipal da Praia, que aconteceu na quinta-feira, 03.

Os eleitos do MpD justificaram o abandono da sala com o facto do presidente eleito, Francisco Carvalho, ter convidado para a reunião, membros da lista do partido Africano da Independência de Cabo Verde (PAICV) nas últimas eleições autárquicas, que não foram eleitos.

Nesta linha, a vereadora explicou que “a lei é clara” nesta matéria, quando atribui a prerrogativa ao presidente da câmara de convidar pessoas para assistir às reuniões, frisando que todos estavam cientes que os convidados não tinham direito à palavra e muito menos a participar na tomada de decisões.

Por outro lado, explicou que os eleitos do MpD alegaram que o vereador Samilo Moreira constitui um elemento estranho à Câmara Municipal da Praia, quando se sabe, indicou, o visado fez parte lista que venceu as eleições e elegeu cinco vereadores, entre os quais o próprio.

“Esta atitude drástica de abandono da sala, por parte dos três vereadores do MpD presentes na reunião, é de ‘per si’ muito grave, ademais quando não se vislumbram razões substanciais e de fundo que justificassem tal atitude extrema”, afirmou Dúnia Duarte.

Lembrou que Francisco Carvalho prometeu uma nova forma de ser e estar na política, “sem secretismos e acordos de confidencialidade”, observando a legalidade, tendo, inclusive, se comprometido com os munícipes em promover a transmissão ‘online’ das sessões da Assembleia Municipal.

Dúnia Duarte disse também que na “ânsia de querer levar a água para o seu moinho, a qualquer custo”, os três eleitos do MpD prometem, no caso de haver alguma deliberação da reunião, proceder à instauração de uma acção de anulação das decisões e deliberações aprovadas nesta reunião, por falta de quórum.

“Esquecem-se, propositadamente, que, inicialmente, havia quórum, que só deixou de existir a partir do momento em que abandonaram a reunião o que, nem de perto e nem de longe, chega a ser da responsabilidade do PAICV”, salientou.

Por fim, declarou  ser da parte da actual maioria na Câmara Municipal da Praia uma “disponibilidade genuína para um trabalho de todos e com todos, para uma Praia mais desenvolvida, mais próspera e mais inclusiva”.

A nova equipa camarária saída das eleições de 25 de Outubro é constituída por nove eleitos sendo cinco do PAICV e quatro do MpD.

Fonte: Inforpress