Praia: PAICV repudia afirmações do vereador das Infra-estruturas e ameaça com queixa-crime

Cidade da Praia, 06 Out (Inforpress) – O PAICV repudiou hoje as afirmações que considera “irresponsáveis e falsas” do vereador das Infra-estruturas da autarquia da Praia quanto à manifestação realizada por moradores do bairro de Pensamento sobre o trabalho de asfaltagem da via principal.

O repúdio foi manifestado pelo membro da Comissão Política Nacional e presidente da Comissão Política Regional de Santiago Sul do PAICV, Carlos Tavares, numa conferência de imprensa para falar das acusações feitas pelo vereador Manuel Vasconcelos associando o PAICV às iniciativas cívicas que surgem no concelho da Praia.

Segundo aquele responsável, face a estas acusações, o Partido Africano da Independência de Cabo Verde (PAICV), pretende dar entrada no Tribunal da Comarca da Praia, a uma queixa-crime contra o vereador e a Câmara Municipal da Praia por afirmações “caluniosas” proferidas na comunicação social no dia 04 de Outubro.

Sublinhou ainda que, na semana passada, o PAICV tinha entregado na CNE uma queixa sobre as obras iniciadas pela Câmara Municipal da Praia, em plena campanha eleitoral, em vários bairros da capital.

“A CMP e o vereador menosprezam a iniciativa da sociedade civil e a sua legitimidade em manifestar-se, num estado de direito democrático, colocando, mais uma vez, à mostra a gestão arrogante e prepotente que tem sido a marca desta edilidade”, disse, considerando as acusações como uma forma de esconder o “esgotamento” dos projectos do MpD para Praia.

Para o PAICV, acrescentou, a gestão camarária da Praia é um autêntico “descaramento” onde a autarquia faz obras sem concurso, planeamento, rigor e transparência e num “faxi faxi”, nas vésperas das eleições, para enganar a inteligência dos eleitores.

Questionou ainda as obras que classificou como “txapa txapa”, interpelando o responsável camarário sobre se este não tirou nenhumas ilações com as consequências provocadas pelas últimas chuvas de Setembro, em que obras que custaram milhões ficaram submersas ou foram levadas pelas cheias.

Perante este tipo de gestão, apela à população praiense a estar ciente a este tipo de actuação e gestão da Câmara Municipal da Praia para que depois seja responsabilizado “politicamente” na urna.

Esta é a segunda queixa-crime que o PAICV faz contra a CMP da Praia, sendo que a primeira foi contra a vereadora da Habitação, Ednalva Cardoso e o vereador das Infraestruturas aquando das manifestações em Alto da Glória e por ter usado o mesmo esquema para denegrir a imagem do partido.

Fonte: Inforpress