Praia: PAICV acusa autarquia de transformar espaços públicos em negócios privados

Cidade da Praia, 11 Jul (Inforpress) – O líder da bancada municipal do PAICV, Vladimir Silves, disse hoje que a Câmara Municipal da Praia (CMP) montou um esquema de “autêntica caça aos terrenos”, privatizando e transformando espaços públicos em negócios privados.

Vladimir Silves falava à Inforpress, em reacção à notícia da proposta de venda da Praça da Igreja Nova Apostólica, situada na Fazenda.

Conforme disse, “foi com espanto” que tomou conhecimento, através da comunicação social, de que a Praça da Igreja Nova Apostólica “foi vendida a um privado”, para ali ser construído um restaurante.

Explicou que o local é de equipamento público de lazer, situado numa zona de intensa urbanização, de grande tráfico automóvel e que é muito frequentado por cidadãos de todas as faixas etárias.

Entretanto, considerou, a CMP “vem aniquilando espaços públicos”, privando assim os munícipes de espaços abertos para descanso e ocupação de tempo livre das famílias, crianças, jovens e idosos.

“Tem sido assim na forma como se tem ocupado toda a orla marítima da cidade, na forma como se tem projectado o crescimento dos novos bairros”, justificou.

Nesta linha, defendeu, a CMP “chegou ao cumulo de desrespeito” a espaços religiosos, numa agenda, “idealizada e executada em função de determinados interesses que em nada beneficiam o bem-estar geral dos munícipes desta cidade”.

O deputado municipal afirmou ainda que o projecto “não passou pelo crivo da Assembleia Municipal”, conforme estipula a lei, para quem esta prática “tem sido habitual” na actual gestão camarária, considerando ser ainda “uma estratégia de não partilhar e envolver” a oposição nas decisões.

Perante isso, apelou à sociedade civil, às ordens profissionais, aos pesquisadores, no sentido de se pronunciarem em defesa da cidade e defesa do bem-estar comum.

Fonte: Inforpress