Praia: Gafanhotos invadem ruas da cidade

Um fenómeno incomum preocupa moradores do bairro de Palmarejo, na cidade da Praia. É que desde a semana passada se verifica uma invasão constante de gafanhotos aos montes pelas ruas e portas de residências e edifícios, durante dias e noites.

Praia: Gafanhotos invadem ruas da cidade
Após o Governo ter anunciado que vai reforçar a campanha de combate à praga (gafanhotos) que afeta zonas de cultivo com a mobilização de pessoas, agora estes insetos, “desesperadamente”, invadem as ruas do bairro de Palmarejo, na cidade da Praia. Preocupadas com este fenómeno, que consideram de “incomum” no país, as pessoas que circulam pelas ruas queixam-se da ausência de técnicos e de autoridades no combate a esta praga.

“Eles estão em todo o lugar. Vi pela primeira vez na semana passada, quando passava na manhã desta quarta-feira, pela loja da Unitel T+ em Palmarejo, um enxame de gafanhotos, invadindo, não só as ruas, como as portas das residências e dos edifícios”, conta Joana Cardoso, moradora em Cidadela.

Outra inconformada com a invasão dos gafanhotos às residências é Claudete Ramos, moradora em Monte Vermelho. “Há milhares de gafanhotos de cor amarrozado que invadem as nossas ruas e residências durante dias e noites seguidas. Aliás, não temos como pisá-los quando circulamos de um lado para o outro. Há dias, uma loja teve que fechar as suas janelas para evitar a entrada dos insetos”, revela.

Junto à entrada da Esquadra Policial de Palmarejo também se pode constatar algumas centenas de gafanhotos, voando contra as pessoas. “Os gafanhotos já tomaram conta das ruas da cidade e, até, nos batem nas caras ao passarmos perto delas. A cada metro de distância a gente vê gafanhotos castanhos. Geralmente estão mortos e pisados, mas vimos muitos vivos dentro de lojas, nas paredes e isso é incomum e novidade para nós. É que, normalmente, nesta época fala-se muito de pragas, mas só nos campos de cultivo”, anuncia Luís Tavares.

Segundo especialistas em biologia, essa espécie de gafanhoto é migratória e, nesta época do ano, eles migram para regiões excepcionalmente húmidas, e são atraídos pelas luzes da “cidade do pecado”. Eles devem ficar por aqui por algumas semanas e depois vão-se embora. Não são insetos perigosos à saúde dos moradores, mas são muito inconvenientes, pousando em cima delas e se aglomerando em carros e portas de entrada das casas”, adverte.

O asemanaonline soube através de um comunicado emitido pelo Governo de cabo Verde que as zonas mais afetadas pela praga nesta época agrícola estão localizadas nos municípios da Praia, Ribeira Grande Santiago, São Domingos, Santa Cruz e Tarrafal, Fogo, São Vicente e São Nicolau.

Entretanto, para fazer face à situação no país, o Governo garantiu que existe um plano de combate à praga dos gafanhotos que está a ser executado e que o Ministério da agricultura e Ambiente está preparado para reforçar a campanha de combate aos gafanhotos, um pouco por todas as ilhas. CL

Fonte: Asemana