Perspectiva/São Vicente: Mindelenses classificam 2019 de ano “muito difícil” e pedem sobretudo emprego

Mindelo, 07 Jan (Inforpress) – Os sanvicentinos classificam o ano de 2019 de “muito difícil” e auguram agora melhorias para o novo ano, pedindo sobretudo que as autoridades criem mais postos de trabalho, especialmente para os jovens.

Este desejo é manifestado por Osvaldo Pinto, pedreiro de profissão, mas neste momento desempregado, e que vem “desenrascando a vida” com uma venda de cosméticos à porta do Hospital Baptista de Sousa.

“Queremos melhores perspectivas para este ano de 2020, queremos especialmente trabalho para que nós que somos pais podermos ajudar os nossos filhos”, lançou, adiantando que “tudo fica mais difícil sem trabalho”.

Maria dos Santos também pediu às autoridades que criem mais postos de trabalho para os jovens, principalmente, acrescentando, por outro lado, que  é preciso aumentar o salário de muitos cabo-verdianos, que estão com “poder de compra limitado”.

“Chega o final do mês temos mais é dor de cabeça do que outra coisa, temos que estar sempre a fazer as contas, tirar daqui e colocar ali, porque são muitas responsabilidades”, considerou.

O jovem Zenito Graça igualmente reclamou da falta de emprego, principalmente nas pessoas da sua faixa etária, e que, por falta de ocupação, por vezes, acabam por enveredar por outras vias, “como roubar para ter algum dinheiro no bolso, ou saciar as frustrações no caminho da droga”.

“Uma coisa leva à outra, por isso acredito que muitos dos nossos problemas poderiam ser resolvidos se houvesse mais postos de trabalho, como os governantes têm vindo a prometer”, reiterou.

Arlete Fortes, como uma excepção à regra, augurou os sanvicentinos a “fazerem por si e não a esperar que autoridade A ou B mude a sua vida”.

“O que faz a diferença é acreditar em si e promover a união. Mas, também devemos sempre pensar em dividir o que temos, não somente os bens materiais, mas um simples bom dia ou um olhar”, considerou a jovem, para quem a “palavra-chave para tempos melhores é existir mais humanidade”.

“Muitas das coisas que estão acontecendo no país, muitas vezes é por falta de humanidade, por concentramos somente em nós mesmos. Podemos sempre fazer melhor por nós e pelos outros”, sublinhou, considerado ter sido 2019 um ano “frutífero e de muitas realizações”.

Nesta mesma linha, Alberto João Silva, reformado, pediu “mais saúde para todos e respeito uns para outros”, para “evitar muitas das situações de conflitualidade”.

Com outros votos, Maria dos Santos espera que haja mais chuva na terra, porque “se houver comida as pessoas podem desenrascar-se melhor sozinhas”.

Fonte: Inforpress