Parlamento: PAICV vai interpelar Governo sobre o sector dos transportes na I sessão de Outubro

Cidade da Praia, 13 Out (Inforpress) – O Partido Africano da Independência de Cabo Verde (PAICV-oposição) vai interpelar o Governo sobre o sector dos transportes, mais precisamente da Cabo Verde Airlines, na primeira sessão plenária de Outubro, informou hoje o seu líder parlamentar, Rui Semedo.

“É um debate sobre o sector dos transportes, designadamente para conhecer aprofundadamente a situação do sector, principalmente do sector dos transportes aéreos. Qual é a real situação? São algumas questões que poderemos necessitar de ver esclarecidas”, referiu Rui Semedo, que falava em conferência de imprensa na cidade da Praia para fazer o balanço das jornadas parlamentares.

No debate solicitado pelo grupo parlamentar do PAICV, conforme afirma este responsável, o seu partido vai para saber se a Icelandair vai continuar, ou não, a ser parceiro do Governo, em que pé está a negociação entre o Governo e a Icelandair, quais serão as responsabilidades do Executivo e se por onde andam os aviões, se vão ou não voltar.

“Estarão a voar em algum sítio? Já foram vendidos? A situação dos trabalhadores? Todos reclamam até o atraso dos pagamentos. Quem vai assumir o pagamento dos salários dos trabalhadores? Qual será o futuro que se reserva para os trabalhadores, mas também para o futuro da companhia?”, referiu.

Rui Semedo disse ainda que circularam notícias de que três aviões foram vendidos, mas que o seu partido não sabe se se trata de aparelhos que estavam destinados a operar em Cabo Verde, por isso, afirmou, a 1ª Sessão Plenária do mês de Outubro é uma oportunidade de o Governo esclarecer tais informações.

“Se não foram vendidos, quando vêm, em que circunstâncias, em que condições e que compromissos, que responsabilidades teremos que assumir enquanto País e enquanto cabo-verdianos?”, acrescentou.

Ainda sobre esta sessão que arranca na quarta-feira, adianta Rui Semedo, estarão sobre a mesa um conjunto de “iniciativas importantes”, designadamente a Lei que combate o crime de agressão e abuso sexual de menores, o código de processo penal que também tem contribuições importantes para melhorar o sistema de justiça, a lei que estabelece o regime de acesso e exercício de profissões e actividades profissionais que estão sujeitas a carteiras profissionais.

“Acho que, para além destas iniciativas, eventualmente, poderão entrar iniciativas ligadas ao uso obrigatório de máscaras, que também consideramos que neste contexto em que vivemos, com uma situação que se agravou grandemente e se alastrou praticamente para todo o país”, continuou.

Neste sentido, acredita este líder parlamentar, que “faz todo o sentido” haver mecanismos de protecção e de prevenção e o uso de máscaras, um “auxiliar importante” que poderá contribuir para ajudar na prevenção e combate à Covid-19”.

Fonte: Inforpress