PAICV SE POSICIONA SOBRE A CONFIRMAÇÃO DE MAIS 45 CASOS NA ILHA DA BOAVISTA

1.O País, ontem, foi surpreendido com a notícia de mais 45 Confirmados do Covid-19, na Ilha da Boavista, e, mais concretamente, dos trabalhadores que estavam e Quarentena, no Hotel Riu Karamboa.

Cabe-nos, antes de mais, manifestar toda a nossa Solidariedade para com a Ilha da Boavista e os seus habitantes, endereçar uma palavra de conforto a todos cujos testes deram positivo, e prontificarmo-nos a colaborar e a ajudar em tudo o que for necessário e conveniente, para conseguirmos, todos juntos – Estado, Sociedade e Cidadãos – vencer o gigantesco desafio que temos pela frente.

Apelamos, igualmente, para que, em nenhuma circunstância, sejam culpabilizados e estigmatizados, os trabalhadores dos Hotéis, na Ilha da Boavista, que estiveram confinados, sem as condições de protecção individual e de isolamento, e sem acompanhamento adequado das autoridades, nos moldes apropriados, durante 25 dias.

2. Para o PAICV é preciso fazer um trabalho aturado para identificar todos os erros e falhas cometidos, desde o início e que são graves, na gestão deste Dossier.

Assumir o erro, como fez o Primeiro-Ministro, foi um primeiro passo importante!

Aliás, não esperávamos outra postura do Governo da República, tendo em linha de conta a gravidade da situação!

É que, neste momento da evolução da pandemia nas Ilhas e no Mundo, os custos sanitários e sociais de erros desta envergadura são muito elevados!

Mas, mais do que isso, o que se espera é que sejam tomadas todas as medidas para que erros desta natureza não voltem a acontecer, e que sejam também criadas as condições para reduzir, ao máximo, os impactos das falhas e dos erros cometidos!

3. O PAICV regista, com justificada preocupação, que este é o segundo erro grave, assumido pelo Governo, após a eclosão da doença, em Cabo Verde, e em pleno Estado de Emergência.

Tendo reconhecido a gravidade do erro e a dureza das consequências, o Governo deve agora, dar o passo seguinte: ou seja, tirar todas as ilações e assumir, na plenitude, as suas responsabilidades.

Torna-se, por isso, necessário avaliar, de forma aprofundada e criteriosa, toda a gestão deste processo, na Ilha da Boavista e nas outras Ilhas, desde o início, para detectar as falhas e introduzir as correcções que se mostrarem pertinentes.

A assumpção de responsabilidades e a correcção dos erros, em situações de crise, como esta, e em que estão em causa vidas humanas, são determinantes para proteger o país e os cabo-verdianos.

4. O PAICV defende, ainda, que o Governo deve implementar, com carácter de urgência, medidas de política que possam levar a uma maior protecção da sociedade e dos cidadãos.

Desde logo, é preciso que os testes sejam massificados, prioritariamente nas Ilhas já com casos confirmados.

Em segundo lugar, é necessário reforçar a capacidade de resposta do país, em matéria de equipamentos exigidos para um combate vigoroso e seguro ao Covid-19, conforme as recomendações das autoridades sanitárias nacionais e da OMS.

Em terceiro lugar, e com a prorrogação do Estado de Emergência, que concede poderes excepcionais ao Estado, o Governo deve implementar medidas enérgicas e eficazes, que garantam a efectividade protecção dos cabo-verdianos.

5. Neste momento de luta, que deve ser conjunta, é importante, igualmente, promover a colaboração política entre todos os actores políticos e reforçar a mobilização da sociedade e dos cidadãos.

Defendemos, por isso, que o Chefe de Governo deve criar formas de articulação com os partidos Políticos com representação parlamentar, e partilhar informações sobre a situação epidemiológica do país, a evolução da situação e as projecções existentes.

Só deste modo, a participação política dos principais actores políticos será efectiva e responderá ao espírito de cooperação e entendimento, tão necessários neste tempo de crise.

Afinal, o principal foco de todos nós deve estar, antes de tudo, no Combate ao Covid-19, com o envolvimento responsável de todos, para salvar as pessoas e o País.

6. Manifestamos mais uma vez, a total disponibilidade do PAICV para colaborar, apelamos aos cabo-verdianos que cumpram as orientações das Autoridades Sanitárias, e pedimos ao Governo que lidere este processo com responsabilidade, transparência e envolvendo a Todos.

Cidade da Praia, aos 16 dias de Abril de 2020.

JANIRA HOPFFER ALMADA – PRESIDENTE DO PAICV