PAICV pede “medidas mais ajustadas” para combater aumento da criminalidade no País

Cidade da Praia, 19 Abr (Inforpress) – O Partido Africano da Independência de Cabo Verde (PAICV – oposição) pediu hoje “medidas mais ajustadas” para combater o aumento da criminalidade no arquipélago, considerando que os dados mostram a “situação gritante” que o País vive.

A posição do PAICV foi defendida em conferência de imprensa pelo conselheiro da Comissão Política Regional de Santiago Sul, Óscar Rodrigues, apontando que já é altura de o Governo tomar novas medidas que sejam “mais duras e de maior robustez”.

“Uma das causas para esta delinquência é a falta de políticas competentes e integradas para jovens, nomeadamente, em apoio ao estudo e à educação, impedindo o abandono escolar precoce”, afirmou, salientando também o apoio à criação de postos de trabalho e de medidas específicas para a integração no mercado.

Segundo explicou, o PAICV quer “alertar” sobre o facto “de que o que já foi feito é pouco”, por isso propõe um “pacto social de urgência” por uma “sociedade mais equilibrada”.

No seu entender, é preciso criar incentivos ao emprego e incentivos ao acolhimento nas associações e câmaras municipais, permitindo assim que as pessoas com certa reincidência criminal “tenham a sua liberdade e possam trabalhar para um futuro melhor”.

Por outro lado, avançou que os feminicídios por razões passionais devem ser erradicados nas comunidades, devendo também as autoridades públicas tratar este tema como “máxima prioridade”, quer na tomada de medidas de consciencialização, quer em termos de alterações legislativas.

“Continua também a triste saga dos crimes contra turistas, o que faz perigar uma das maiores fontes de receita da nossa República”, referiu, advertindo que o alarme social causado gera danos reputacionais, sobretudo para o exterior.

O responsável assinalou ainda que as pessoas estão com medo de sair à noite, muito por causa dos aumentos da taxa de criminalidade, para quem é preciso reverter essa situação com políticas públicas e novos investimentos, além de melhorar os serviços de reinserção social no país.

HR/HF

Fonte: Inforpress