PAICV admite que CV Airlines pode ser discutida na sessão plenária que se inicia esta quarta-feira

Cidade da Praia, 10 Nov (Inforpress) – O líder do grupo parlamentar (GP) do PAICV (oposição), Rui Semedo, admitiu hoje que a CV Airlines pode ser discutida na sessão plenária desta quarta-feira, na sequência do aval do Governo de mais 100 milhões de escudos.

Para Rui Semedo, os transportes aéreos em Cabo Verde é uma “questão de actualidade”, pelo que pode, a qualquer momento, voltar ao Parlamento e citou o período de questões gerais, onde a situação da Cabo Verde Airlines pode ser trazida à liça, com vista a se obter esclarecimentos do Governo sobre esta matéria “tão delicada e importante” para a vida dos cabo-verdianos.

“Governo continua a drenar recursos para esta companhia [CV Airlines] sem que tenhamos uma ideia concreta das respostas que o Governo esteja a estruturar para a solução futura da companhia aérea”, precisou o líder do GP do Partido Africano da Independência de Cabo Verde.

Na sua perspectiva, a questão de ligação, tanto marítima como aérea, é “fundamental” para os cabo-verdianos.

Rui Semedo fez essas considerações, ao ser abordado, em conferência de imprensa, sobre o novo aval de 100 milhões de escudos que o executivo de Ulisses Correia e Silva deu a Cabo Verde Airlines.

Segundo ele, os recursos que estão a ser investidos na transportadora aérea nacional, que foi privatizada, “terão impacto no Orçamento do Estado e na vida dos cabo-verdianos”.

“(…) e nem sequer temos um único avião no País. O Governo tem anunciado a reabertura de voos, mas não tem esclarecido aos cabo-verdianos como irá ser esta reabertura, num momento em que não temos um único avião que poderia assegurar esses voos”, lamentou o dirigente do PAICV.

“A nossa preocupação é a de se encontrar uma solução mais definitiva para a transportadora aérea nacional”, defendeu Semedo, acrescentando que o executivo deve esclarecer “os contornos dos negócios”  à volta da CV Airlines, assim como os “impasses verificados neste momento”.

Na perspectiva do maior partido da oposição, o Governo deve clarificar  as respostas que estão a ser desenhadas para que o País ter uma companhia de bandeira que sirva os interesses da comunidade cabo-verdiana no exterior e em Cabo Verde.

“Em quase todas as sessões plenárias o PAICV tem trazido para a agenda publica a questão da antiga companhia aérea nacional que agora é Cabo Verde Airlines.

Entretanto, a agenda, de acordo com Rui Semedo, promete uma “sessão tranquila”, o que, ressalvou,  não impede a discussão aprofundada das iniciativas legislativas.

“É uma sessão que poderá contar com uma maior convergência de posições entre os sujeitos parlamentares”, concluiu o líder do GP do PAICV.

Fonte: Inforpress