PAICV acusa Governo de aumentar período de estágios em função das conveniências estatísticas

Cidade da Praia, 09 Mar (Inforpress) – O Partido Africano da Independência de Cabo Verde (PAICV, oposição) acusou hoje o Governo aumentar o período de estágios profissionais em função das conveniências estatísticas, tendo o ministro-adjunto do primeiro-ministro, Carlos Monteiro, refutado a acusação.

Durante uma intervenção, hoje, no debate com o ministro-adjunto do primeiro-ministro para a Juventude de Desporto, o deputado Luís Pires afirmou que o período de estágio profissional remunerado foi aumentando sempre, ao mesmo tempo que o número de desempregados continua a crescer.

“Primeiro de três para seis meses, e depois para oito meses ou mais em função das conveniências estatísticas, mas é também verdade que o desemprego continua a crescer.  Em contraponto aumenta o número de jovens desanimados, formando uma fileira de “frustrados” mesmo fora da pandemia e mesmo em tempos de paz”, disse.

O assunto já tinha sido abordado também pelo deputado da mesma bancada António Fernandes que denunciou que há jovens que passam mais de dois anos nos estágios profissionais.

Luís Pires denunciou ainda o aumento do número de jovens sem emprego e fora do sistema de ensino.

“Estatísticas de 2020 do mercado de trabalho dizem que há 77.480 jovens de 15 a 35 anos sem emprego e fora do sistema de ensino ou formação. E nosso entendimento que o perfil de saída  no secundário nos centros de formação e  nas universidades está desajustado  com as necessidades do  mercado de trabalho”, sustentou.

MJB/AA

Fonte: Inforpress