O descalabro dos indicadores da governação

…um governo ultraliberal voltado para o benefício e privilégio aos ricos e poderosos e discriminação sistemática e permanente dos menos favorecidos e pobres; uma excessiva partidarização do aparelho do estado e hostilização dos adversários políticos; um partido que governa para si mesmo e não para o povo que o elegeu; um governo desorientado e sem planos nem projetos mas oportunista que não se coibiu de se aliar ao CHEGA não se sabe a troco de quê?!

Cabo-verde regride mais de 10 anos no índice de democracia, em 2020. Depois de já ter alcançado elevados patamares que classificaram o país como democracia plena, a última classificação deste ano rebaixou o país para uma democracia imperfeita com falhas de acordo com o último relatório do Índice de Democracia Global que avaliou mais de 167 países e, em cinco anos caímos nove posições: de 23ª posição em 2015 para 32ª posição em 2020!!!

Em 2005, Cabo Verde teve 7,43 pontos e ficou na 39ª posição no ranking global de democracia; em 2010 subiu para 7,92 e 26ª posição; em 2015 alcançou 7,94 e a invejada 23ª, a frente de Portugal para despencar em 2020 para 7,78 e 32ª posição!!!

O que aconteceu para que Cabo Verde caísse tão acentuadamente em tão pouco tempo?

Houve mudança de Governo e ascensão do MpD ao poder e uma série de práticas políticas e administrativas nefastas para a população: um governo ultraliberal voltado para o benefício e privilégio aos ricos e poderosos e discriminação sistemática e permanente dos menos favorecidos e pobres; uma excessiva partidarização do aparelho do estado e hostilização dos adversários políticos; um partido que governa para si mesmo e não para o povo que o elegeu; um governo desorientado e sem planos nem projetos mas oportunista que não se coibiu de se aliar ao CHEGA não se sabe a troco de o quê?!

Os indicadores da governação são péssimos:

1. o desemprego disparou para índices superiores a 20% da força de trabalho, especialmente, jovens e mulheres nos centros urbanos;

2. a violência e a criminalidade estão assolando as cidades e os assaltos a mão armada tornaram-se rotina;

3. a economia parou desde março do ano passado e de lá para cá a dívida do país disparou como nunca antes visto;

4. o Governo está tão enfraquecido que nem consegue demitir os mais fracos e de pior desempenho para os substituir por gente com mais capacidade;

5. esse Governo prometera mundos e fundos ao povo na campanha para assumir o poder e quando chegou no posto esqueceu todas as promessas;

6. a pandemia não constitui desculpas para o descalabro da governação porque nunca se viveu bem em nenhum momento da Legislatura que está prestes a terminar;

7. o Governo toma medidas sobre joelhos e não faz planificação de médio ou longo prazo;

8. o Governo não reconhece os erros da governação e os repete, exaustivamente, dia-após-dia;

9. o Governo não presta conta nem ao Parlamento e nem ao povo que é o soberano e dono legítimo do poder;

10. o Governo está cansado e precisa ser ajudado a ir embora descansar-se no dia 18 de abril, dando assim oportunidade a novas opções políticas da oposição.

O povo precisa resgatar o país desse desastre que foram esses cinco anos da legislatura prestes a terminar.

Fonte: SantiagoMagazine