Munícipes da Praia colocam preocupações, desafios e propostas à nova equipa camarária

Cidade da Praia, 28 Jan (Inforpress)  – A primeira sessão ordinária da Assembleia Municipal da Praia para a aprovação do plano de actividades e orçamento de 2021 foi marcada por intervenções de munícipes que expuseram reivindicações, sugestões e propostas sobre as mais diversas áreas sociais.

Com um orçamento à volta de três milhões de contos,  um aumento de 18 por cento (%) em relação ao orçamento rectificativo de 2020, este orçamento para 2021 é apresentado como tendo “um forte pendor social”, visando ir ao encontro das “mais prementes demandas das camadas menos possidentes” e, consequentemente, sob “maior impacto da pandemia e do desemprego”.

Durante o período de intervenções, o munícipe Vasco Spínola parabenizou o novo autarca pelas medidas sociais adoptadas, “uma mais-valia para os mais carenciados”, ao mesmo tempo que apontou desafios para Tira-Chapéu, como melhoria de requalificação, calcetamento de algumas vias e a criação de um centro multiuso.

A necessidade de uma nova gestão para o estádio municipal da localidade, a legalização das casas e distribuições de terrenos em Jerusalém, no Alto da Glória, consoante a promessa da equipa cessante, foram outras inquietações apresentadas para a melhoria da localidade, referenciada como “um bairro problemático”.

Franklim Ramos, da Bela Vista, manifestou preocupação para com a “deficiente via de acesso em pedras e pedregulhos”, enquanto o empreiteiro Admilson Melo, de Achadinha, realçou a sua inquietação para com a qualidade das obras realizadas pela câmara cessante, como a Praça de Eugénio Lima e as casas destruídas cujas obras ficaram a meio.

Fernando Cardoso apresentou-se como o representante de um grupo de 20 taxistas que reivindica oportunidades para se tornarem proprietários, ao passo que Narciso Gonçalves, funcionário da autarquia, colocou problemas como a necessidade de implementação do PCCS e de o município ser equipado com camiões de lixos “dignos de uma capital”.

Francisca Lopes, da localidade de Eugénio Lima, chamou atenção da autarquia para “minimizar” a situação de pobreza por que passam sobretudo os jovens “por falta de condições para melhoria de vida”, como a formação profissional, opinião partilhada por Ricardina da Veiga, que clama pela criação de um posto de saúde e fundo descentralizado para acções de carácter social.

Francisco Carvalho, de Palmarejo, e Jimmy Brito sugeriram intervenção em caminhos vacinais, programas para a juventude e uma “resolução definitiva” para as obras do polivalente de Achadinha, cujo término estava previsto para Junho de 2020.

O presidente da câmara Francisco Carvalho prometeu debruçar-se sobre estas e demais preocupações apresentadas pelos municípes.

A assembleia municipal  realiza-se hoje e sexta-feira, 29, para apresentação e aprovação dos instrumentos de gestão da nova equipa camarária, para além da tomada de posse dos membros das comissões permanentes

Tem ainda na agenda dos trabalhos a apreciação e aprovação de deliberações respeitantes à alteração de taxas e tarifas, bem como a fixação das senhas das reuniões das comissões permanentes.

Fonte: Inforpress