Manifestação no AICE: Sokols vai convidar edil Augusto Neves e garante que protesto será pacífico

O movimento Sokols garantiu hoje ao Mindelinsite que a concentração popular que os mindelenses pretendem fazer este Domingo junto ao aeroporto Cesária Évora será um acto pacífico, contrariando assim rumores sobre a possibilidade de haver pessoas dispostas a “agitar” o ambiente. Segundo Salvador Mascarenhas, a organização vai inclusivamente endereçar convites formais ao Presidente da Câmara de S. Vicente, à Assembleia Municipal e ao próprio ministro da Economia, pelo que não faz sentido lançar alaridos sobre a intenção dos manifestantes. “Gostaríamos de ter o presidente da Câmara Municipal connosco porque ele chegou a criticar a situação dos voos em S. Vicente, pelo que esta seria uma grande oportunidade para mostrar que está do lado do povo mindelense nessa luta. Convidamos o ministro porque o Governo diz que não quer imiscuir-se nas medidas de gestão da Cabo Verde Airlines, mas não acreditamos muito na sua presença”, diz Mascarenhas, para quem a Câmara de S. Vicente deveria inclusivamente disponibilizar transporte para quem quiser ir exprimir a sua indignação junto ao aeroporto internacional, em S. Pedro.

Para amanhã está prevista uma reunião entre o Sokols e um núcleo de apoiantes, que irão fazer o balanço dos contactos estabelecidos até o momento e delinear os próximos passos. No encontro serão redigidas as cartas a serem entregues às autoridades a comunicar a realização da marcha, assim como a estratégia de mobilização de participantes. “Várias pessoas já sabem da marcha através das redes sociais e da comunicação social, mas vamos estabelecer contactos formais com algumas entidades, como a associação dos taxistas”, informa Mascarenhas.

Porém, como constatou este jornal digital, nem todos os taxistas estão ao corrente da manifestação. O próprio presidente da associação dessa classe profissional garantiu ao Mindelinsite que soube da iniciativa de forma informal. “Pessoalmente vou participar, mas não posso falar pelos outros porque não houve um encontro formal nesse sentido”, esclarece o presidente dessa organização.

A maior parte dos manifestantes deverá trajar camisola de cor escura e carregar faixas com as mensagens que cada um achar mais pertinente. Segundo Mascarenhas, a ideia é parar as viaturas a menos de dois quilómetros do aeroporto e fazer o resto do trajecto a pé. Os manifestantes deverão ficar concentrados a uma distância “segura” do aeroporto munidos dos dísticos. Depois será lido um manifesto que irá apelar à reposição imediata dos voos da ex-TACV para a ilha de S. Vicente. É que, na perspectiva do movimento Sokols, essa situação é mais uma medida que anda a estrangular a economia de S. Vicente e vai na contramão dos discursos do Executivo.

Fonte: Mindelinsite