Manifestação de Sokols no Mindelo: Mensagem de protesto ao Governo por 2 mil pessoas transportadas em mais de 500 carros

S.Vicente enviou uma forte mensagem ao Governo central para a retoma dos voos da TACV de e para a ilha, apesar de o Palácio da Várzea está a dar o sinal de não querer perceber isso. Mas esta vai ser uma construção permanente até que o Executivo de Ulisses Correia e Silva leve em consideração esta preocupação dos saovicentinos e resolva o problema em causa. Esta é a forma como um membro próximo da Direcção do Sokols 2017 avalia a manifestação deste Domingo,16, que, segundo ele, foi ordeira e teve mais de 500 carros, que, a partir da Praça Estrela, transportaram, conforme outras fontes, mais de dois mil pessoas ao Aeroporto Internacional Cesária Évora (AICE), em São Pedro.

Para a mesma fonte, os populares, trajados de preto e munidos de dísticos e cartazes (ver fotos), manifestaram-se de forma pacífica, ordeira e com uma boa adesão – ultrapassou-se de longe a previsão inicial de 500 pessoas. Desfilaram-se ao som da conhecida canção de intervenção social “Venham mais cinco”, do português Zeca Afonso, mas interpretada por Ildo Lobo. Trata-se de uma música emblemática utlizada durante a Revolução dos Cravos, por ocasião de 25 de Abril de 1974, em Portugal.

Conforme interlocutores deste jornal, à chegada ao aeroporto, o líder do Sokols usou da palavra para ler o manifesto assinado por muitos dos presentes na Praça Estrela. Um documento que vai ser endereçado ao Primeiro-ministro, com a sua entrega, esta segunda-feira, ao ministro José Gonçalves.

“Nesta marcha de indignação de São Vicente, que nos trouxe à rua, informamos ao Governo que estamos aqui para exigir a reposição dos voos da Cabo Verde Airlines nesta ilha do norte”, avisou Salvador Mascarenhas, que qualificou de incorrecta a decisão de suspender os voos da TACV de e para Mindelo, que afecta também as outras duas ilhas da Região – S.Nicolau e Santo Antão.

“O AICE é a porta de entrada e de saída desta região. Ao retirar a Cabo Verde Airlines desta rota, o Governo colocou-nos uma pedra na porta. E não admitimos pedra nenhuma na nossa porta. Queremos ser livres para ir e vir quando quisermos”, disse, por sua vez, Carlos Araújo, um outro membro da direcção do Sokols.

Luta radical e cartão amarelo ao Governo

O líder do movimento cívico de Mindelo considera que a marcha de protesto deste domingo foi pacífica, mas não descarta a outras formas de luta mais radicais, caso o Governo não mande retomar os voos da TACV de e para S.Vicente.

“Podíamos, por exemplo, bloquear o aeroporto, que é uma acção mais radical, mas não queremos prejudicar ninguém. No entanto, às vezes temos de fazer as coisas parar para que os governantes possam nos ouvir”, avisou Salvador Mascarenhas, realçando que Mindelo não é contra a estratégia de se criar o hub aéreo do Sal, mas exige uma melhor conectividade da ilha com o resto do país e o mundo.

Para observadores locais, com esta nova marcha de protesto, o Governo de Ulisses Correia e Silva recebeu mais um cartão amarelo por parte da população de S.Vicente, que tem a tradição de luta e está sempre em sintonia com o mundo em transformação, funcionando, muitas vezes, como o laboratório político nacional. O recado está dado, avisa a mesma fonte.

Fonte: Asemana