JPAI saúda o Dia Internacional da Criança com clamações contra abuso sexual, tráfico e todas as formas de violência

Cidade da Praia, 01 Jun (Inforpress) – A juventude do PAICV saúda o Dia Internacional de Criança com mensagem, na qual “clama por um combate acérrimo que o país deve fazer ao abuso sexual, tráfico e todas as formas de violência contra menores’’.

Em comunicado de imprensa enviado à Inforpress, a JPAI recomenda aos jovens progenitores que não deixem de cumprir o seu papel de pai ou mãe, “porque caso contrário estarão a comprometer o futuro das nossas crianças”.

Apela para a criação de melhorias significativas, visando ’a promoção, a protecção e a restituição dos direitos inerentes à criança, garantindo-lhe o desenvolvimento integral e a construção da sua plena autonomia pessoal e cidadã’’ , conforme o Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA).

Esta organização juvenil partidária reconhece o trabalho desenvolvido ao longo dos anos com ganhos alcançados no sector da criança em Cabo Verde, mas alerta para “a necessidade de se empreender esforços para o aumento dos níveis de apoio às áreas sociais que irão permitir uma melhoria significativa” nesta camada.

“Pela importância que assumem enquanto futuro deste país, é nossa tarefa cuidar, proteger e orientar as nossas crianças”, lê-se nesta missiva, com o líder da JPAI, Fidel Cardoso de Pina, a mostrar-se convicto de que a criança cabo-verdiana deve ser acarinhada e orientada para o amor à pátria e o cumprimento dos seus deveres, tendo sempre em conta os seus direitos.

Considera ser importante também que a sociedade possa proporcionar instrumentos adequados para a vida e a educação sã da criança, ressalvando, contudo, ser fundamental que a ajuventude perceba a importância de assumir a sua responsabilidade parental

“O meu apelo perante este desafio em Cabo Verde, sobretudo aos jovens progenitores, é que não deixem de cumprir o seu papel de pai ou mãe, porque caso contrário estarão a comprometer o futuro das nossas crianças”, resalva, ao mesmo tempo clamando por um “combate acérrimo que o país deve fazer ao abuso sexual, tráfico e todas as formas de violência contra menores’’.

A JPAI disse acreditar que estes dados devem provocar alguma reflexão, não só das autoridades entendidas e responsáveis na matéria, mas também de toda a sociedade em si, asseverando que dados estatísticos confirmam que ainda há um longo caminho a percorrer.

Fonte: Inforpress