JPAI reitera que OE’2021 “fica aquém das respostas” e “ignora as necessidades” dos jovens

Cidade da Praia, 09 Dez (Inforpress) – O presidente JPAI, Fidel de Pina, criticou hoje as políticas para a juventude contidas no Orçamento do Estado para 2021 (OE’2021), reiterando que o mesmo “fica muito aquém das respostas” e “ignora as necessidades” dos jovens.

O líder da Juventude do Partido Africano da Independência de Cabo Verde (JPAI) fez estas declarações em conferência de imprensa para falar do OE’2021, tendo realçado que as propostas do Governo para 2021 “não apresentam respostas à infoexclusão e a democratização do acesso com transparência dos solos”.

Segundo este responsável, o OE’2021 “peca pelo aumento substancial da dívida pública”, frisando que o endividamento do Estado deve ser feito “de forma responsável” num “compromisso claro” com as gerações futuras, pelo que, alertou, “deve-se ter a prudência necessária” para que as medidas tomadas actualmente “não hipotequem o futuro dos jovens”.

“Este orçamento, igualmente não acautela, a forma injusta, desigual e discriminatória como os terrenos são geridos em Cabo Verde. A ausência de uma cultura de planeamento e desenvolvimento urbanístico, a falta de transparência na gestão dos solos e na atribuição de lotes para construção, a falta de uma política de habitação e de democratização do acesso ao solo orientado, explicam o elevado deficit existente no País e sobretudo nas ilhas e centros urbanos com maior crescimento demográfico”, afirmou.

Afiançou, neste sentido, que é necessário que o Governo perceba e assuma que era urgente que esse orçamento “conseguisse dar respostas a estes desafios”, com investimentos que permitissem encontrar soluções “criativas e multifacetadas”, colocando a problemática da habitação como “uma prioridade” das políticas públicas, sob pena de os jovens “pagarem facturas pesadas” num futuro próximo.

A Juventude do PAICV, prosseguiu, tem insistido em todas as oportunidades junto do Governo para que sejam criadas as condições para que os jovens cabo-verdianos possam sentir os seus benefícios de forma efectiva assegurando-lhes assim o direito constitucional à Habitação Condigna.

“O Governo do MpD com a aprovação deste orçamento, mais uma vez, continua a ignorar esta necessidade premente dos jovens cabo-verdianos, quando se poderia prever várias medidas de políticas”, declarou, salientando que o mesmo deveria ter em conta a necessidade de adopção de várias medidas, com destaque para a implementação de incentivos fiscais, criação de um fundo de fomento da habitação jovem, processo especial de atribuição de terrenos a jovens ou jovens casais e entre outros.

Disse, por outro lado, que a JPAI tem estado em “permanente contacto” com os estudantes, que, por sua vez, estão “extremamente preocupados” com a ausência de medidas que possam reduzir o risco de abandono escolar e garantir a continuidade dos estudos, alertando que um dos principais problemas que os estudantes no país enfrentam é a infoexclusão.

“A Juventude do PAICV tem insistido repetidamente que é preciso adoptar medidas para apoiar os estudantes e contribuir para que as escolas, as universidades e os estabelecimentos de ensino de forma geral possam manter o bom funcionamento”, reiterou.

Fidel de Pina concluiu ressalvando que no entendimento da JPAI ainda é possível “arrepiar caminhos”, alertando ao Governo sobre a necessidade de se ter um Orçamento do Estado que traga desenvolvimento inclusivo para todo o País e crie igualdades de oportunidades para todos os jovens em Cabo Verde.

Fonte: Inforpress