JPAI questiona ministra da justiça sobre data da conclusão do processo de recenseamento automático em Cabo Verde

O líder da JPAI lamentou que o governo ainda não tenha concluído o processo para que se tenha o recenseamento automático já para as próximas eleições autárquicas, que se avizinham.

A JPAI, através do presidente, Fidel Cardoso de Pina, questionou a ministra da justiça sobre a data da conclusão do processo para o recenseamento automático nas eleições  legislativas e presidenciais de 2021.

Esta abordagem de Cardoso de Pina veio na sequência de um encontro realizado entre uma comitiva da JPAI e a Comissão Nacional de Eleições (CNE) na sua sede, para abordar

Uma comitiva da Juventude do PAICV liderada pelo seu Presidente, Fidel Cardoso De Pina, reuniu-se na manhã de hoje, 10 de março, com a Comissão Nacional das Eleições, na sua sede, para abordar várias questões ligadas ao processo eleitoral em Cabo Verde.

O líder da JPAI lamentou que o governo ainda não tenha concluído o processo para que se tenha o recenseamento automático já para as próximas eleições autárquicas, que se avizinham.

“É inconcebível esta situação e queremos questionar a Sra. Ministra de Justiça se estarão criadas as condições para que seja possível o recenseamento automático nas eleições legislativas e presidências de 2021, por forma contribuir para combater alta taxa de abstenção das ultimas eleições, que nas presidências atingiu os 63,6%”, disse Fidel Cardoso de Pina.

Esta reunião serviu ainda para que a JPAI pudesse socializar com a Comissão Nacional das Eleições a sua Moção Sectorial aprovada pela unanimidade do XVI Congresso do PAICV que teve três importantes propostas: a paridade etária, a limitação de mandatos e a não acumulação de salários com pensões vitalícias, nomeadamente reformas, provenientes do Estado, por Titulares de Cargos Políticos.

Outras questões prementes abordadas neste encontro, são a eminente necessidade da revisão do actual código eleitoral, um conjunto de estratégias para incentivar os jovens para uma maioria participação nos processos eleitorais bem como os muitos problemas que persistem no recenseamento eleitoral que infelizmente ainda é apenas biométrico, quando deveria ser possível a modalidade on-line, beneficiando sobretudo os jovens.

Fonte: A Naçao