JPAI chama a atenção do Governo para algumas questões relacionadas com Universidade Técnica do Atlântico

Cidade da Praia, 08 Jan (Inforpress) – O presidente da Juventude do PAICV chamou a atenção do Governo para a questão da lei que criou a Universidade Técnica do Atlântico, que não prevê um período de transição e para a questão da concorrência com a Uni-CV.

Fidel de Pina, que falava hoje em declarações aos jornalistas, no final de um encontro com a reitora da Universidade de Cabo Verde, disse que numa fase em que a Universidade de Cabo Verde (Uni-CV) está-se a consolidar o Governo decidiu amputar uma unidade orgânica da Uni-CV, a Faculdade de Engenharias e Ciências do Mar (FECM) em São Vicente, para criar a Universidade Técnica do Atlântico.

O também membro da Comissão Política Nacional do Partido Africano da Independência de Cabo Verde espera que a Universidade Técnica do Atlântico (UTA) tenha capacidade de mobilizar novos recursos e que não seja cortado os recursos da Uni-CV, que vem passando por algumas dificuldades.

Por outro lado, afirmou, há a questão da lei que cria a UTA que não previu um período de transição, o que significa que um estudante que estudou quatro anos na Uni-CV e que agora vai concluir os restantes seis meses na UTA irá ter um diploma da UTA.

O líder da juventude do PAICV questiona ainda ao Governo se foi acautelada a possibilidade de haver a concorrência entre a UTA e a Uni-CV.

“Seria um aspecto a lamentar, já que as universidades hoje em Cabo Verde reclamam de dificuldades, portanto, é preciso que não haja essa concorrência, já que se reclama que há um excesso de universidades e que isso não venha a ser um problema”, afirmou.

Desse encontro com a reitora, informou que foi possível detectar que os “velhos” problemas continuam a assolar a classe estudantil, nomeadamente a questão das propinas, a questão da habitação e do transporte escolar.

Não obstante, o novo campus da Uni-CV prever uma residência estudantil com 490 lugares, o que, a seu ver, irá contribuir para uma habitação condigna, Fidel de Pina defendeu que é preciso repensar e encontrar formas de resolver estes problemas que têm contribuído para o aumento do abandono escolar no país.

“A JPAI em sede de orçamento de Estado de 2020 fez uma proposta ao Governo para criar um programa de residência estudantil que possa, pelo menos, minimizar este problema que vem afectando os estudantes”, referiu.

Ainda em relação ao novo Campus da Uni-CV, que irá acolher 15 mil estudantes a partir do próximo ano lectivo, para este dirigente é uma “mais-valia e um grande ganho” para Cabo Verde, uma vez que irá permitir “melhores condições” para os docentes, estudantes e os colaboradores da Uni-CV.

Sublinhou ainda que este será “muito importante” para o país, na medida em que vai apoiar no processo de internacionalização da Universidade de Cabo Verde, permitindo que essa instituição de ensino superior possa ampliar-se não só pela lusofonia, mas também para a anglofonia.

Tendo em conta o papel que este novo Campus da Uni-CV irá ter em todas as zonas circundantes de Palmarejo Grande até Caiada, trazendo uma nova dinâmica económica, pediu ao Governo e à própria Câmara Municipal da Praia que tenham em conta alguns aspectos ligados à iluminação pública, ao transporte público, e à questão das bermas da estrada.

A JPAI, que vem realizando contactos com as universidades na cidade da Praia, vai nos próximos dias alargar essa agenda de contactos para outras ilhas para que no final possam recolher todas as preocupações da classe estudantil e transmiti-las ao Governo.

Fonte: Inforpress