JHA. Situação financeira da Cabo Verde Airlines continua uma incógnita. Estado está sendo lesado

A líder do PAICV continua a questionar a situação dos transportes em Cabo Verde, reafirmando, num post publicado este sábado no facebook, que a situação financeira da Cabo Verde Airlines continua uma incógnita, o que demonstra a governação inconsistente do MpD e das privatizações lesivas dos interesses do estado, pondo causa os princípios da transparência, da prestação de contas e da legalidade que devem nortear a governação num Estado do Direito Democrático”.

“Ninguém, nem mesmo o Senhor Ministro das Finanças, que esteve na linha da frente da privatização dos TACV e da sua transformação em CV Airlines, sabe a verdadeira situação económica e financeira da empresa”, escreve a líder do maior partido da oposição, para acrescentar que “na verdade, o Governo, na sequência dos processos de privatização, através de avales e garantias, tem sido o grande financiador da CV Inter-ilhas, da Cabo Verde Airlines, e da CV Telecom (re-estatizada)”.

Nesta sequência, Janira Hopffer Almada relembra que “o objetivo do actual Governo, ao apresentar a sua perspetiva sobre a privatização das empresas públicas, era reduzir o risco orçamental e fiscal. O Senhor Secretário de Estado das Finanças, em nome do Governo, tinha dito, que o grande ganho é que, a partir de agora, nós não temos de nos preocupar em injetar dinheiro na empresa Cabo Verde Airlines”.

Entretanto, notícias vindas a público dão conta que a ASA tem estado a assumir algumas despesas da Cabo Verde Airlines, inclusive os salários dos trabalhadores. O senhor vice-primeiro ministro e ministro das Finanças, Olavo Correia, quando confrontado com estas informações, afirmou desconhecer a situação.

A líder do PAICV estranhou as afirmações do homem forte das finanças do país, e escreve que “isso é grave. Muito grave”.

Com efeito, Janira Hopffer Almada, conclui a este respeito, que “não se conhecem os custos de reestruturação, as contas não são apresentadas desde a privatização e o Estado continua a financiar a empresa. Um processo a todos os títulos intransparente e ao arrepio das leis”.

Ademais, observa, “para agravar a situação, soube-se, através da comunicação social, que a Cabo Verde Airlines pretende contrair mais dívidas (de longo prazo) e que o Governo pode vir a ser, mais uma vez, o avalista”.

E questiona: “se o Governo desconhece a real situação financeira da CV Airlines e o facto de os salários recentes terem sido, eventualmente, pagos pela ASA, como bem confessou o Senhor Vice-Primeiro Ministro e Ministro das Finanças, como pode o Estado continuar a avalizar os empréstimos da empresa?”

Assim, a líder do maior partido da oposição em Cabo Verde entende que “a gravidade do caso obriga a que o Chefe do Governo informe ao Parlamento e ao país sobre a real situação da CV Airlines, sob pena de se por causa os princípios da transparência, da prestação de contas e da legalidade que devem nortear a governação num Estado do Direito Democrático”.

Fonte: SantiagoMagazine