“Já é tempo de Cidade Velha ter centro de saúde que corresponda ao seu estatuto” – presidente da câmara

Cidade da Praia, 26 Jun (Inforpress) – O presidente da Câmara Municipal da Ribeira Grande de Santiago disse hoje que já é tempo de dotar a Cidade Velha de um centro de saúde que corresponda ao seu estatuto de Património Mundial da Humanidade.

Nelson Moreira fez estas afirmações no âmbito das comemorações do 12º aniversário da elevação da Cidade Velha a Património Mundial da Humanidade, que se assinala hoje, tendo destacado os ganhos e investimentos alcançados até agora, nomeadamente a barragem e requalificação da igreja nossa senhora do Rosário, e outras ainda em curso.

Sobre os desafios, Nelson Moreira ressaltou que “são enormes”, sobretudo em saneamento, tendo considerado que Cidade Velha “é um diamante bruto que precisa ser lapidado”.

“Temos constatado que a nível de saneamento ainda é reduzido, para não falar que é inexistente”, alegou, salientando que a autarquia trabalha, juntamente com parceiros, para dar à Cidade Velha um novo rosto.

“Um dos maiores problemas” que os técnicos do Instituto do Património Cultural (IPC), os governantes e os moradores da Cidade enfrentam, mencionou    Nelson Moreira, são as normas de construções para manter a qualidade da paisagem histórica urbana.

Salientou, igualmente, que a presença das riquezas arquitectónicas tem um custo elevado para a sua protecção e preservação, ressalvando que na Constituição está inscrito desde 1999 o Estatuto Administrativo Especial.

“Dotando a Cidade Velha deste merecido Estatuto Administrativo Especial, Cabo Verde será o País do mundo que tomou a decisão mais avançada e mais elaborada para preservar um sítio a património mundial. Os retornos são incalculáveis, não só para todos”, frisou o autarca.

Nelson Moreira adiantou que a autarquia pretende “oferecer mais” aos visitantes, alargando os circuitos de visita com o projecto “As maravilhas de Ribeira Grande de Santiago”, um inventário das riquezas arquitectónicas, imateriais e naturais de todo o município e a criação de um roteiro dinâmico que interliga essas riquezas às da Cidade Velha.

Para facilitar a ida de turistas à Cidade Velha e reforçar os ganhos financeiros dos proprietários, o autarca disse que pretendem identificar todas as viaturas interurbanas com o logo da Unesco e com imagens dos monumentos emblemáticos da cidade e das suas riquezas tradicionais.

Neste sentido, a Câmara Municipal da Ribeira Grande de Santiago vai também negociar com as entidades competentes formações em língua para os motoristas, além de fardas características.

“Já é tempo de ter um centro de saúde que corresponda ao seu estatuto de Cidade Património Mundial da Humanidade. Um centro de saúde ou hospital é sempre uma boa carta de visita para um sítio histórico. Há vários turistas internacionais e nacionais que visitam o sítio e que podem necessitar de uma assistência de urgência que um Centro de Saúde de proximidade pode garantir”, sustentou Moreira.

 “Acreditamos que a economia do turismo cultural vai ser estimulada e relançada se conseguimos juntos, o Governo e a câmara, fazer do nosso município um lugar privilegiado de turismo, cultura, religião e de memória, participando assim na diversificação do sector do turismo e a retoma da actividade económica pós-covid-19”, sublinhou.

TC/AA

Inforpress/Fim