Insuficiência de rede de esgoto coloca a Praia em sérias dificuldades para cumprir as metas dos ODS – PAICV

Cidade da Praia, 17 Jul (Inforpress) – O PAICV questionou hoje a “deficiente” e “inadequada” gestão camarária dos recursos públicos, considerando que a insuficiência de rede de esgoto coloca a Cidade da Praia em sérias dificuldades para cumprir as metas dos Objectivos de Desenvolvimento Sustentável.

Estas declarações foram feitas pelo membro da Comissão Política do Partido Africano da Independência de Cabo Verde (PAICV – oposição) Carlos Tavares, em conferencia de imprensa sobre as politicas da Câmara Municipal da Praia, para o sector do saneamento.

Para este dirigente do principal partido da oposição, a insuficiência de rede de esgotos é um dos grandes problemas que a Cidade da Praia enfrenta, ressalvando que o seu acesso ainda não é uma realidade para a maioria dos bairros da capital.

“O acesso à rede de esgoto sanitário, que se enquadra no saneamento básico definido como direito humano fundamental, não tem merecido a devida atenção das autoridades, carecendo de investimentos mais musculados, não tem sido uma prioridade real, relegado muitas vezes a apenas discursos da mais nova prioridade eleitoral momentânea”, observou.

A insuficiência e o avanço lento nesta matéria, frisou Carlos Tavares, coloca a Praia em serias dificuldades para cumprir as metas dos Objectivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS), a agenda 2030, nomeadamente, no que se refere a garantia do saneamento universal e equitativo para todos.

Para o PAICV, a questão do saneamento básico na Praia vem sendo relegada para o segundo plano com “desumana indiferença injustiça, falta de comprometimento e desleixo das autoridades locais, que até agora não estabeleceram prioridades na gestão dos recursos públicos”.

“A câmara ganhou em 2008 com o compromisso de melhorar as condições de vida das pessoas na Praia. Temos uma equipa que está há 12 anos e agora liderado por Óscar Santos e durante todo esse tempo, o avanço da rede de esgotos tem sido bastante lento, pelos investimentos que diz ter vindo a receber”, disse.

Questionou, neste sentido, a falta de acção por parte da autarquia na criação de investimentos estruturantes nessa área e melhoria de condições de vida dos praienses.

No entender de Carlos Tavares, o desenvolvimento da Praia inclui necessariamente uma mudança de patamar de saneamento básico, como “condição fundamental de desenvolvimento sustentável” tendo em conta o impacto positivo que este tem na valorização ambiental, protecção da saúde e no desenvolvimento da sociedade.

Fonte: Inforpress