Independência/45 anos: “Cumprimos todos mas é preciso continuar a trabalhar para o desenvolvimento” – José Maria Neves

Cidade da Praia, 05 Jul (Inforpress) – O ex-primeiro-ministro de Cabo Verde José Maria Neves afirmou que durante os 45 de Cabo Verde independente todos os actores políticos e cidadãos cumpriram a missão de transformar Cabo Verde num país viável.

José Maria Neves, que falava aos jornalistas no final da sessão especial da Assembleia Nacional para celebrar mais um aniversário da Independência Nacional, sublinhou entretanto que é preciso continuar a trabalhar para que no horizonte de 2030 Cabo Verde seja “efectivamente um país desenvolvido”.

“Nesses 45 anos nós cumprimos todos. Nós, os protagonistas políticos, os cidadãos, a sociedade. Cumprimos, e agora é preciso pensar o futuro, sobretudo continuar a trabalhar para nos próximos 45 anos com a experiência que já temos, com a aprendizagem que fizemos, com os erros e os ganhos podermos fazer muito mais e melhor por Cabo Verde”, disse.

José Maria Neves, que governou Cabo Verde por 15 anos (2001-2016), considerou que o País tem condições para ultrapassar os desafios e alcançar o desenvolvimento inclusivo sustentável.

“Temos ainda pobreza, temos ainda desigualdade, problemas de assimetrias regionais e devemos continuar a trabalhar para acelerar o ritmo de crescimento, um crescimento que terá necessariamente inclusivo, ambientalmente sustentável e fazer tudo para que o no horizonte de 2030 sejamos efectivamente um país desenvolvido”, sustentou.

A Independência Nacional de Cabo Verde foi declarada a 05 de Julho de 1975.

A sessão solene comemorativa dos 45 anos da independência de Cabo Verde, que este ano teve um número reduzido de pessoas, devido à pandemia da covid-19, contou com os discursos dos representantes dos três partidos políticos com assento parlamentar (MpD, PAICV, UCID), do Presidente da Assembleia Nacional, Jorge Santos e Presidente da República, Jorge Carlos Fonseca.

Todos colocaram tónica nos impactos da pandemia de covid-19 em Cabo Verde e a apelaram à conjugação de esforços no combate à propagação do vírus, bem como o reforço das políticas públicas para acudir aos mais vulneráveis nesse momento difícil do País.

Fonte: Inforpress