Ilha do Sal: Ana Paula Santos termina mandato lamentando o “fraco engajamento” dos militantes

Espargos, 10 Nov (Inforpress) – Ana Paula Santos termina mandato, enquanto presidente da Comissão Política Regional do Sal, do Partido Africano da Independência de Cabo Verde (PAICV), lamentando o facto de não ter havido um engajamento dos militantes do partido “como antigamente”.

Durante os três anos de mandato que termina agora, em Novembro, Ana Paula Santos que é também deputada nacional, admitiu que foi um tanto ou quanto “difícil” estar na liderança da Comissão Política Regional (CPR) do PAICV local, desempenhando ao mesmo tempo as funções de parlamentar.

“Enquanto deputada nacional, sabíamos que estávamos a candidatar para funções incompatíveis, diferentes, mas importantes, que exigia um grande esforço, já que a cumular papéis, tarefas (…), daí termos tido muitas dificuldades em avançar com as actividades e objectivos propostos inicialmente”, admitiu.

Ana Paula Santos lamentou, entretanto, o facto de, durante o seu mandato, haver “fraco engajamento” dos militantes, o que, conforme frisou “não acontecia antes”.

“Tivemos muitas dificuldades em avançar com as actividades propostas, não vimos o engajamento de todos os militantes do partido que antigamente havia. O partido tinha uma militância mais activa”, considerou.

Situação que, no entendimento da dirigente do PAICV local, poderá ser devido à sua constante ausência da ilha, uma vez que quinzenalmente deverá estar nas sessões parlamentares, realizadas na Cidade da Praia.

“Ficava fora do Sal duas vezes num mês. Preparávamos algumas actividades a nível local, umas eram cumpridas, mas outras não. Ser deputada nacional, e estar ao mesmo tempo na liderança do partido local, não permitiu resultados mais satisfatórios. Fizemos aquilo que pudemos fazer durante esse período”, declarou.

“Entendemos que o PAICV no Sal precisa de uma nova visão”, disse, revelando, entretanto, que um aspecto interessante de seu mandato, é o facto de ter havido uma “grande procura de caras novas”, a querer militar-se no partido.

“Isso deixou-me muito satisfeita. Aliás, tivemos um aumento do número de militantes, especialmente jovens, até mesmo aproximação de outros militantes que há muito tempo não participavam nas actividades do partido”, manifestou.

Ana Paula Santos deixa a liderança do PAICV com pena de não ter podido levar avante a construção da sede do partido no Sal, uma ambição, conforme disse, que vem desde a anterior liderança, comandada por Démis Almeida, e em que era a vice-presidente.

A CPR do Sal, do PAICV, vai a eleições em finais de Novembro para renovar os órgãos locais do partido.

Até agora é liderada pela deputada nacional, Ana Paula Santos, que se encontra em fim de mandato.

Ainda não se conhecem outras manifestações de interesse, tendo Démis Almeida sido o primeiro a apresentar, formalmente, candidatura para a liderança do PACV na ilha.

A votação terá lugar no dia 29 de Novembro, devendo as operações de apuramento eleitoral ser feitas logo após o encerramento das urnas, seguidos, “imediatamente” da proclamação dos resultados finais.

Fonte: Inforpress