Governo do MpD faz “gestão corrente” da herança do PAICV – Janira Hopffer Almada

A presidente do PAICV afirmou quinta-feira, em Luanda, que a governação do Movimento para a Democracia (MpD) não passa de uma “gestão corrente” da herança recebida em 2016, do Governo do seu partido.

Janira Hopffer Almada falava aos jornalistas depois do encontro com a vice-presidente do Movimento Popular de Libertação de Angola (MPLA), Luísa Damião. A responsável criticou a governação de Ulisses Correia e Silva pela falta de “uma visão” para o desenvolvimento do país.

“Entendemos que é possível governar melhor. Já o dissemos variadíssimas vezes. Para garantir o desenvolvimento é preciso que haja uma visão, estratégias, medidas políticas estruturantes, de fundo. Muitas vezes ficamos com a percepção de que o que está a acontecer neste momento em Cabo Verde é uma gestão corrente da herança recebida da anterior governação”, sublinhou, citada pela Lusa.

Janira diz que não consegue vislumbrar investimentos estruturantes e visões de desenvolvimento em sectores estratégicos.

“Não sentimos, sobretudo, os impactos que o crescimento económico que é propalado [pelo MpD] em setores fundamentais, como na educação, saúde e inclusão social. Para o PAICV, é importante que o país cresça e celebramos sempre as boas novas e as conquistas de Cabo Verde. Mas tão importante quanto o país crescer é que cada cabo-verdiano, onde quer que esteja, sinta a sua vida a melhorar”, disse.

Para Janira Hopffer Almada, novamente ouvida pela Lusa, o PAICV “não sente” que exista uma “visão consistente e robusta para o desenvolvimento” do país, “numa perspectiva de crescimento inclusivo” que seja sentido por todos os cabo-verdianos.

A líder do PAICV acredita que, em 2021, data das próximas legislativas, os cabo-verdianos “saberão fazer uma avaliação” sobre a governação do MpD, fazendo regressar o PAICV ao poder.

Fonte: Expresso das Ilhas