GAO chama atenção para os riscos fiscais de Cabo Verde para o próximo ano

Cidade da Praia, 01 Dez (Inforpress) – O GAO chamou hoje a atenção para os riscos fiscais de Cabo Verde para o próximo ano, numa leitura ao Orçamento de Estado proposto, apontando os avales e garantias no sector empresarial do Estado com riscos agravados.

A informação foi avançada à imprensa pelo presidente da Comissão Especializada de Finanças e Orçamento, António Fernandes, após encontro com o Grupo de Apoio Orçamental (GAO).

Na ocasião, explicou que a reunião serviu para analisar o momento em que o País se encontra, com os desafios decorrentes da pandemia e que coincide com a discussão do Orçamento de Estado para 2022, que também comporta alguns desafios, nomeadamente no que diz respeito às receitas.

Acrescentou que durante o encontro foi abordado toda a questão social, a pobreza e o desemprego, além do turismo que, segundo indicou, perdeu cerca de 7 por cento (%) do seu crescimento.

“Perante este contexto, o sector da agricultura também passa por momentos de algumas dificuldades, mas pudemos ouvir também um conjunto de perspectivas no domínio de projectos e programas de continuidade, que vão seguramente acompanhar esse processo de preparação do ano de 2022”, assinalou.

Conforme a mesma fonte, foram abordados ainda aspectos que têm a ver com riscos macrofiscasis, sendo que o próprio programa social implementado pelo Governo acaba por imprimir por dentro um conjunto de riscos fiscais.

Por outro lado, advertiu, os avales e as garantias no sector empresarial do Estado com alguns riscos agravados, nomeadamente pela descontinuidade do processo da privatização dos TACV.

“Portanto, os níveis de riscos no que diz respeito à questão fiscal é preciso acompanhar com muita atenção”, indicou, sublinhando ser necessário esse acompanhamento para poder manter dentro do quadro da sustentabilidade, aquilo que são as questões orçamentais e a dívida pública.

HR/JMV
Fonte: Inforpress