Fogo: Obras de asfaltagem do acesso ao porto e algumas vias da cidade estão paradas – deputados do PAICV

São Filipe, 12 Jul (Inforpress) – As obras de asfaltagem do acesso ao porto de Vale dos Cavaleiros e de algumas vias da cidade estão paradas e a ilha não recebeu nenhum centímetro de asfalto desde 2016, afirmam os deputados do PAICV.

Numa conferência de imprensa no final da visita ao círculo eleitoral, o porta-voz dos deputados do Partido Africano da Independência de Cabo Verde (PAICV-oposição), Luís Pires, lembrou que a obra era para ser concluída num prazo de 150 dias e que no dia 07 de Agosto completa um ano desde que foi lançada.

Já em relação à requalificação dos arruamentos da cidade de São Filipe, os parlamentares do PAICV registam um “atraso significativo”, esperando que a mesma esteja concluída no próximo ano, altura em que São Filipe comemora o centenário da sua elevação à categoria de cidade.

Quanto à construção da estrada que liga Piorno a Campanas de Cima, consideram que o atraso “é menor”, mas ainda assim “considerável”, razão porque os deputados do maior partido da oposição eleitos pelo círculo do Fogo vão pedir esclarecimentos ao Governo.

Outro assunto analisado nesta visita ao círculo está relacionado com a instabilidade na extracção e dragagem de areia, tendo os camionistas e empreiteiros se queixado que, além da escassez, a areia está cada vez mais cara, lembrando que antes pagavam 300 escudos por metro cúbico e que agora pagam 1.600 escudos, encarecendo a construção civil na ilha.

“Nos dois sítios indicados para a dragagem, perto da praia de Nossa Senhora a 150 metros de profundidade e em frente a Fonte Bila a 300 metros, por limitações do barco esta operação está a acontecer demasiado perto das praias, a apenas 35 metros de profundidade”, alertam os deputados.

Estes querem dialogar com as câmaras municipais para reactivar a comissão intermunicipal de extracção de inertes, para introduzir novas tipologias de construções mais amigas do ambiente, prometendo igualmente diligenciar junto do Governo e das câmaras para a realização de estudos para a extracção controlada de areia e em condições de sustentabilidade ambiental.

A descapitalização do mundo rural por causas das sucessivas secas e da pandemia, o descontentamento com a precária situação dos transportes aéreos e marítimos e o sentimento de que a ilha devia merecer mais obras deste Governo, foram também analisados na conferência de imprensa por dois dos três deputados do PAICV pelo círculo da ilha do Fogo, nomeadamente Eva Ortet e Luís Pires.

Igualmente a situação de saúde, com o “cumprimento” dos compromissos assumidos desde a legislatura anterior, nomeadamente do novo director do hospital regional São Francisco de Assis e a instalação da Secretaria de Estado da Saúde foram analisados.

Para a deputada Eva Ortet, a descentralização não passa apenas pela instalação da Secretaria de Estado na ilha, mas a descentralização em termos de investimentos, melhoria de cuidados de saúde, vinda de especialistas para poderem tirar aproveito dos investimentos e dos equipamentos que estão na região Fogo/Brava.

Esta avançou que vão questionar o titular da pasta da Saúde sobre os projectos ligados às infra-estruturas de saúde para a região, se os compromissos da anterior legislatura serão retomados ou se haverá novos projectos para a ilha.

JR/ZS

Fonte: Inforpress