Fogo/Mosteiros: Deputados do PAICV preocupados com ambiente social degradante e concorrência desleal na extração de inertes

Situação da angústia com um ambiente social degradante por falta de trabalho e concorrência desleal na exploração de inertes entre 70 famílias e uma única empresa que alegadamente opera de forma ilegal na área são as principais reivindicações dos mosteirenses neste momento. A constatação é dos deputados do PAICV (Carlos Fernandinho Teixeira e Luís Pires) pelo círculo do Fogo, que concluíram, esta quinta-feira, uma visita de trabalho ao concelho dos Mosteiros.

Fogo/Mosteiros: Deputados do PAICV preocupados com ambiente social degradante e concorrência desleal na extração de inertes
«Auscultando às populações, verifica-se angústias e um ambiente social degradante pela falta de trabalho nem da Camara e muito menos do governo central. A situação da habitação é gritante sobretudo nesta altura do aproximar da chuva. A falta de recursos para custear a sementeira e compra das sementes para o arranque do ano agricultura é uma realidade queixada pelos mosteirenses», fundamentam em nota os parlamentares referidos.

Segundo a mesma fonte, a Câmara Municipal não consegue implementar a sua política da habitação e nem pode criar empregos nesse município por causa da excessiva dívida do governo por atraso na transferência das verbas referentes aos contratos programas assinados em 2019 com o executivo local.

Os parlamentares do maior partido da oposição tiveram uma reunião com o pessoal que fazem a extração de inertes, na zona da Baleia, como ganha-pão para mais de 70 famílias. A concorrência desleal entre elas e uma única empresa que alegadamente funciona de forma ilegal na área e a necessidade de se fazer limpeza regular das minas foram as principais reivindicações apresentadas durante o encontro.

«É notória a degradação do ambiente, provocando a distribuição das plantas e terras cultiváveis a favor de uma única empresa que nem se quer paga taxa de extração, como diz a lei, à edilidade mosteirense. Recorde-se que a CMM já tinha posicionado contra a decisão deste licenciamento pela Direcção Geral do Ambiente e do próprio Ministério da Agricultura e Ambiente. Estes abusivamente concederam inicialmente uma licença apenas para a referida empresa tirar areia para o campo de futebol de Lém, no Município de São Filipe, mas foi de novo renovada, pelos vistos, definitivamente, tendo em conta os números de instalações ali construídas, sem licenciamento da CMM», avançam os dois eleitos da nação, que sugeriram às 70 famílias envolvidas na referida atividade a se organizarem em uma cooperativa, podendo com isso obter máquinas e outros equipamentos em que , para além de extração de areia, poderão produzir blocos e outros materiais para a construção civil.

Luís Pires e Carlos Fernandinho Teixeira tiveram também um encontro com a Câmara Municipal para se inteirarem dos projectos em curso e em carteira para os próximos anos e as principais preocupações dos munícipes. «Os deputados, congratulam-se com o nível da organização da câmara municipal dos Mosteiros e pelas obras estruturantes em curso, com recursos a empréstimos e financiamentos da cooperação descentralizadas, prestes a serem inauguradas, nomeadamente as de Orla marítima de Beco, Campo de futebol de Ribeira do Ilhéu e Praça Amadora em Queimada Guincho», destacam os deputados do PAICV pelo círculo eleitoral do Fogo.

Fonte: Asemana