Fogo: Deputados do PAICV denunciam atraso das obras financiadas pelo Governo a nível da ilha

São Filipe, 15 Fev (Inforpress) – Os deputados do PAICV Eva Ortet e Luís Pires denunciaram hoje, em conferência de imprensa, o atraso quase generalizado das obras financiadas pelo governo a nível da ilha do Fogo.

Durante a visita ao círculo, a atenção dos deputados esteve focada no atraso das obras financiadas pelo Governo central, como a asfaltagem das principais artérias da cidade até ao porto de Vale dos cavaleiros, requalificação do centro histórico da cidade, a retoma da estrada Campanhas de Cima/Chã das Caldeiras e a negociação com a câmara de São Filipe sobre o complexo Casas para Todos.

“A obra de asfaltagem de pouco mais de seis quilómetros poderá entrar no livro dos recordes como uma das maiores derrapagens em termos de prazo”, revelou a deputada Eva Ortet, lembrando que a mesma foi lançada nas vésperas das eleições autárquicas de 2020 pelo Governo, mas que depois de perder as eleições deixou de haver anúncios e esqueceram por completo, ficando apenas a placa de lançamento da obra para recordar e reviver a memória de um passado recente.

Além do atraso na implementação das obras, os parlamentares estavam atentos aos atrasos nas transferências dos fundos aos municípios, com impacto negativo no desenvolvimento de projectos importantes.

A título de exemplo, os deputados apontam que o município dos Mosteiros ainda não recebeu nenhum tostão do Fundo do Ambiente relativo ao ano de 2021, tem por receber 16 mil contos do Fundo do Turismo e montantes consideráveis de devolução do IVA.

Por outro lado, indicam que o Governo celebrou um contrato-programa com a câmara de Santa Catarina do Fogo no valor de cerca de sete mil contos e com a de São Filipe no valor superior a quatro mil contos, deixando de fora, pela segunda vez, o município dos Mosteiros.

Segundo os deputados, a autarquia de São Filipe ainda não recebeu o montante do plano de mitigação da seca e falta receber ainda parte do pagamento da contrapartida da dívida do Estado, na sequência da passagem, há alguns anos, de alguns activos da câmara para a Electra.

Os deputados enalteceram o papel dos presidentes das câmaras que estão comprometidos com o desenvolvimento da ilha, primando pelo diálogo e transparência na gestão dos seus municípios, com apresentação de iniciativas importantes para os seus concelhos e para a ilha e que deveriam ser apoiados pelo Governo central.

As obras de ampliação da gare do aeródromo de São Filipe e o programa do Ensino Superior com a implementação do pólo universitário do Fogo para o ano lectivo 2022/23 mereceram ressalva dos parlamentares do PAICV, para quem “é preciso fazer mais para os projectos pendentes”.

A nível regional e local, destacaram a retoma do Gabinete de Desenvolvimento Regional com vários projectos regionais e locais em carteira como o aterro intermunicipal , a desactivação para breve da lixeira municipal, o projecto de cura de queijo, a instalação do laboratório do vinho, o centro de apoio ao toxicodependente, a requalificação de escola de Italiana e construção da escola de Jardim, de entre outras.

Da lista das preocupações constatadas durante a visita, os parlamentares apontam a questão da iluminação pública dos bairros periféricos e do interior, bem como atraso na ligação domiciliária em várias localidades, tendo o próprio responsável da Electra a reconhecer as dificuldades tanto de falta de recursos humanos como de equipamentos e recursos financeiros.

Outra preocupação está relacionada com a necessidade de dotar a ilha de mais farmácias, já que neste momento dispõe de duas, uma em São Filipe e outra nos Mosteiros para cerca de 40 mil habitantes quando a Organização Mundial da Saúde, OMS, recomenda uma farmácia para oito mil habitantes.

Uma farmácia em São Filipe é, no dizer dos deputados, “manifestamente insuficiente” para cobrir a população de São Filipe e Santa Catarina do Fogo e prometeram junto do Governo e da entidade regularidade independente da saúde analisar o que poderá ser feito para resolver esta questão.

JR/JMV
Fonte: Inforpress