Fogo: CPR do PAICV condena “silêncio e passividade” das autoridades em relação aos cães vadios

São Filipe, 01 Jun (Inforpress) – A Comissão Politica Regional do PAICV (oposição) condenou hoje o “silêncio e passividade” das autoridades em relação a ataque de animais por parte de cães vadios que tem causado grande prejuízos económicos e psicológicos aos criadores.

Numa conferência de Imprensa, a CPR do PAICV considerou que a situação, que se vem arrastando há vários anos, tornou-se, nestes últimos dias, “insustentável e preocupante”, com perda de centenas de gado neste município”.

Esta situação, explicou Euclides Fernandes, membro da CPR do PAICV, revoltou os criadores e a população de uma forma geral, ao ponto de no passado sábado expuseram cerca de 40 cabeças de animais (cabras e carneiros) mortos pelos cães à frente do edifício da câmara de São Filipe.

“O município de São Filipe possui um grande número de famílias cujo sustento advém da criação de animais, e, para além do mau ano agrícola, da inexistência de bebedouros para os animais, do fracasso na implementação do plano de salvamento de gado, do preço elevado do milho e da ração, os criadores ainda são confrontados com existência de elevado número de cães vadios que não têm poupado o sossego dos criadores”, referiu.

Para a CPR, existem várias queixas e denúncias da parte dos criadores, mas poucas são as respostas das autoridades para resolver esta situação, salientando que “faria sentido encontrar uma forma de resolver o problema dos cães vadios”.

O PAICV denunciou que o presidente da câmara de São Filipe, em vez de atender e orientar os criadores no momento que mais precisavam, decidiu na tarde de sábado se deslocar a Chã das Caldeiras “com colegas do MpD, desrespeitando a lei sobre distanciamento social e de aglomeração de pessoas”.

A CPR aconselha as autoridades municipais a resolverem, “o mais urgente possível”, esta situação, através de realização de actividades de sensibilização com criadores de cães sobre os cuidados que devem ter para o cumprimento do código de postura municipal.

Igualmente aconselha a câmara para que juntamente com as autoridades sanitárias arranjar uma forma ideal para evitar a proliferação de cães vadios e a criação de um canil municipal para albergar todos os cães vadios do município.

Num período de pouco mais de 72 horas surgiram relatos de matança de perto de uma centena de cabeças de gado (cabras e carneiros) na zona sul de São Filipe, além de dezenas de outros caprinos que ficaram feridos e inutilizados.

Fonte: Inforpress