“É possível PAICV governar melhor para devolver Cabo Verde aos cabo-verdianos novamente” – líder partido

Espargos, 08 Dez. (Inforpress) – A presidente do PAICV, Janira Hopffer Almada, afirmou esta segunda-feira, no Sal, que é possível o PAICV governar melhor, com o apoio do povo nas próximas legislativas, para “devolver” Cabo Verde aos cabo-verdianos “novamente”.

Janira Hopffer Almada fez essas declarações na cerimónia de posse dos titulares dos órgãos regionais do Sal do PAICV, a que presidiu, na sequência das eleições internas, do passado dia 29 de Novembro que conduziu Démis Almeida à liderança do partido na ilha.

Segundo a líder do partido “estrela negra”, para quem “não é normal” que se venha a apregoar que o País está a crescer cinco vezes mais, durante quatro anos, de 2016 até Março de 2020, antes da pandemia da covid-19, a vida dos cabo-verdianos “não ter melhorado”.

“Se o País está a crescer cinco vezes mais, os cabo-verdianos têm que sentir que a vida está a melhorar, a todos os níveis (…), a nível da saúde, educação, turismo, pesca, agricultura, transportes, mas não é isso que se verifica, há recuos dia por dia”, comentou.

“Se o País está a crescer cinco vezes mais, os cabo-verdianos têm que crescer junto com o País, a sua vida tem que melhorar junto com a riqueza que está a gerar, porque a geração de riqueza deve ser partilhada para que o desenvolvimento chegue a cada casa, pessoa e família em Cabo Verde”, reforçou, criticando um crescimento que, conforme disse, beneficia apenas um pequeno grupo de pessoas próximas do poder.

Para a líder do PAICV, governar é um exercício que deve ser para todos, e não só para os militantes do partido que se encontra no poder.

“Temos que governar Cabo Verde para todos os cabo-verdianos, só assim poderemos ter um Cabo Verde para todos. É importante fazer política com verdade. Prometer aquilo que verdadeiramente se pode cumprir”, observou, referindo que a situação dos transportes é o exemplo “mais paradigmático da falta de visão, estratégia e planificação”, da actual governação.

“Por isso, enquanto líder político, recuso-me a aceitar que seja um mercado e uma empresa privada a definir política de transporte em Cabo Verde, no nosso País”, desaprovou, evocando que em 2001 o PAICV recebeu um País quase que “na bancarrota” por causa da dívida interna.

“E são exatamente os mesmos protagonistas que querem pôr Cabo Verde, novamente, na bancarrota. Temos o dever moral de não permitir isso”, acentuou, afirmando que o PAICV tem condições de fazer “mais e melhor” para Cabo Verde e os cabo-verdianos.

“É possível sim, PAICV governar o País, com o apoio e confiança do povo nas próximas eleições legislativas. Vamos fazer de tudo para levantar esta terra e devolver Cabo Verde aos cabo-verdianos, novamente. Temos que acreditar que é possível governar Cabo Verde melhor”, reiterou, concluindo.

Fonte: Inforpress