Desaire do Ângelo Vaz. Um mandato marcado pela perseguição, nepotismo e má gestão Por: Joaquim Almeida

Por: Joaquim Almeida

Ângelo Vaz, o homem que de 2016 a 2020, sistematicamente aparece na comunicação social, para chorar a dívida deixada pelo anterior executivo camarário, que lhe impede de trabalhar e concomitantemente vem de forma sorrateira encher no seu bolso e o de pessoas próximas com o dinheiro dos Salvadorenhos.

Vejamos:

A dívida que encontrou é resultado do investimento feito pela então Edilidade nas infraestruturas públicas importantes, para alavancar o desenvolvimento do Município, nomeadamente, o Paços de Concelho e a Residência Oficial do Presidente.

Esse homem, Ângelo Vaz, dissera em 2016, que o seu maior adversário seria os problemas de São Salvador do Mundo. Entretanto, logo após ter ascendido ao poder, começou a dar sinais preocupantes, que ficam registados no presente artigo.

Afinal queria ser Presidente da Câmara Municipal, para resolver o seu problema e de pessoas próximas, pois em 2016, mal iniciou as funções do Presidente, à revelia de Assembleia Municipal, deliberou sobre o subsídio de transporte para o seu STAFF.

Em 18 de outubro de 2017, o Jornal Online -SANTAGIAGO MAGAZINIZE publicara um artigo de Manuel António Torres intitulado Câmara Municipal de São Salvador do Mundo e o Cumprimento das leis, no qual chamara atenção sobre a ilegalidade da referida deliberação e que seria uma contribuição valiosa, caso, Ângelo Vaz e sua equipa tivessem em devida conta essa chamada de atenção. Atendendo a que a verdade é como o azeite e vem sempre ao de cima, no ano seguinte é a INSPECÇAO GERAL DAS FINANÇAS que, depois da Inspeção feita à Câmara Municipal, mandara repor valores pagos indevidamente ao referido staff. Resta saber se na verdade se fez a reposição.

São cerca de 3.000.000$00 (Três milhões de escudos) recebidos indevidamente pelos Vereadores a tempo integral e parcial, Assessor, Diretor de Gabinete, Secretário Municipal, Secretária do Presidente e Condutor do Presidente.

Ângelo Vaz, é o homem que recusou morar na Residência Oficial do Presidente da Câmara Municipal, para poder beneficiar dos 70.000$00 (Setenta mil escudos) mensais de subsídio de renda de casa, que totaliza no fim mandato a quantia de 3.360.000$00 (Três milhões e trezentos e sessenta mil escudos).

Pergunta-se: quantas famílias poderiam ter ou ver as suas vidas melhoradas com esse avultado montante?

Um homem que assinou um contrato-programa com o Ministério da Cultura e das Indústrias Criativas no valor de 3.000.000$00 (Três milhões de escudos) para realização do Projeto Mercado de Cultura, e que não colocou um centavo, mas teve a coragem de colocar no Relatório de Contas de 2018, que gastou cerca de 3.900.000$00 (Três milhões e novecentos mil escudos). O mercado está lá à vista de todos. Que os Salvadorenhos vão lá confirmar a veracidade daquilo que estamos a afirmar (veja a imagem infra).

Mercado Picos

Imagem do Mercado, sem receber um centavo desses tais três milhões.

É, ainda, esse homem que colocou no Relatório de Contas de 2018, que requalificou o Cemitério de Achada Igreja, no valor de 3.360.000$00 (três milhões e trezentos e sessenta mil escudos), quando na verdade não colocou um centavo.

Sim, na verdade fez obra no Cemitério de Achada Igreja. E, esta obra está lá e de forma imponente para todos os munícipes verem (confira a Imagem)

.cemitério Picos

 A imagem fala por si. Os Salvadorenhos sabem de que obra se trata.

Ângelo Vaz, um homem que disse ter realizado obras de requalificação na zona de Cachoeira (Ponto Ferro – Babosa), no valor que ascende a 5.990.000$00 (Cinco milhões novecentos e noventa mil escudos), financiado pelo Fundo do Ambiente, quando na verdade não colocou um centavo.

Cachoeira Picos

Imagem da Cachoeira (Via Principal de Estrada Nacional Praia/Assomada/Praia – Ponto Ferro – Babosa).

É tanta coisa, que não cabe nesse artigo e as perguntas que não querem calar são: Para onde foi o dinheiro? Pois as obras não estão lá, apesar de existir relatório de despesas nessa suposta obra.

É esse homem que os Salvadorenhos querem para ser Presidente de Câmara Municipal de São Salvador do Mundo mais uma vez? Para quê? Para afundar, ainda mais, o Município de São Salvador do Mundo?

Ficamos por aí, mas, mais artigos serão publicados, para esclarecer os salvadorenhos em Cabo Verde e na diáspora.

Fonte: SantiagoMagazine