Deputado do PAICV alerta para a “situação dramática” porque passa mundo rural no Porto Novo

Porto Novo, 05 Jun (Inforpress) – O deputado do Partido Africano da Independência de Cabo Verde (PAICV, oposição), Carlos Delgado, eleito pelo círculo eleitoral de Santo Antão, alertou hoje para a “situação social dramática” por que passa “o mundo rural” no Porto Novo.

“As famílias clamam, neste momento, por uma atenção especial, porque está em causa a sobrevivência humana, num contexto de uma seca severa, aliada à pandemia do covid-19, com as consequências que todos conhecem”, notou Carlos Delegado, no término de uma visita ao município do Porto Novo.

O parlamentar disse ter constatado ao longo dos contactos efectuados com as populações que a situação por que passam as famílias nas zonas rurais no município do Porto Novo, de Alto ira à Ribeira das Patas, passando pelo Planalto Norte, é, neste momento, “dramática”.

Para Carlos Delgado, “apesar de os deputados do partido no Governo (MpD) estarem, permanentemente, a atirar com estatísticas de emprego público”, a realidade mostra “uma outra coisa” ou seja, “desemprego em massa e famílias enfrentando grandes dificuldades de sobrevivência”.

Citou, como exemplo, o caso da localidade de Alto Mira, onde, avançou, não há neste momento “uma única pessoa” daquela zona empregada, apesar de existir ali uma obra municipal, que emprega apenas pessoas de outras zonas.

A realidade que se vive em Alto Mira é a mesma que se passa no Planalto Norte, onde não há nenhuma frente aberta nesta altura, avisou este deputado, que chama ainda atenção para a situação dos criadores de gado nesse planalto.

“Os criadores que vinham recebendo um apoio de uma organização da sociedade civil, que muito ajudava na salvação do gado, deixou de receber esse auxílio num contexto de grandes dificuldades, devido à seca severa”, sublinhou.

Em Ribeira da Cruz, segundo o deputado, os agricultores do Morro de Cavalo passam por “grandes dificuldades” devido à falta de água, explicando que um dos dois furos existentes nesse vale tem estado a apresentar problemas devido à diminuição do caudal, causada pelos três anos de seca consecutivos.

“Como consequência, há pouca água disponível para os agricultores dessa zona, que clamam pela abertura de mais um furo”, adiantou este deputado, que, perante “esta situação difícil” por que passa Porto Novo, disse que estará “atento” ao montante que o Governo disponibilizará à ilha de Santo Antão no âmbito do orçamento rectificativo, a ser aprovado agora em Junho, pelo parlamento.

Fonte: Inforpress