Covid-19/ Sal: Deputada do PAICV diz-se “desassossegada” com “descaso do Governo” ante pandemia na ilha

Espargos, 25 Jun (Inforpress) – A deputada do PAICV (oposição) Ana Paula Santos, eleita pelo círculo do Sal, manifestou-se hoje “preocupada” com o “descaso do Governo” em relação à evolução da covid-19 na ilha, que passa por uma situação de transmissão comunitária.

“O que se verifica hoje é a consequência de um relaxamento em relação à forma silenciosa de actuação do vírus,  pois como se poderia afirmar que a ilha não tinha casos se a população não estava a ser testada”, questionou a eleita nacional, durante uma conferência de imprensa para falar da situação da pandemia no Sal.

Fazendo uma série de ponderações, que no seu entendimento poderiam evitar o alastramento do vírus na ilha do Sal, Ana Paula Santos, que é médica de profissão, reiterou que a “forma atabalhoada e descoordenada” como o processo foi gerido, é a causa da “situação grave” que se está a viver na ilha.

“Como se pode ignorar todas as condições da ilha, o numero de pessoas oriundas de países afetados e de ilhas já com casos, que circularam pela ilha”; “Como não cogitar a hipótese do vírus já estar a circular na ilha e permanecer de forma passiva, sem verificar a real situação, nomeadamente testando a população, pelo menos, os grupos de riscos ou mais expostos (…)”, são alguns dos questionamentos.

“Como se pode admitir que, após o conhecimento dos casos, não se definiu uma estratégia de controlo, testando, isolando e acompanhando os casos positivos?”, ajuntou, ainda, em tom de crítica.

“A actual situação da pandemia que vivemos tem constituído uma grande preocupação para todos e, enquanto eleita nacional e profissional da área da saúde, não poderia deixar de manifestar preocupações relativas ao processo, especificamente  em relação ao  Sal, que tenho acompanhado e apoiado, por exemplo, através do atendimento na linha verde”, sublinhou.

Ana Paula Santos aproveitou também o momento para reagir às acusações do Delegado de Saúde do Sal, na sequência do  pronunciamento sobre a gestão do processo covid-19 na ilha,  mediante notícia publicada pela Inforpress.

“Lamento que um dirigente administrativo local se posicione desta forma, distorcendo as minhas palavras e, mais uma vez,  não assumindo as suas responsabilidades e não admitindo as criticas construtivas que podem apoiar no processo de melhoria da situação vigente, visto que, até então, observamos falhas graves que são do conhecimento de todos e que precisam ser assumidas e corrigidas”, referiu.

“Não vale a pena negar o óbvio: a evolução da infecção na ilha demonstra e sustenta as nossas afirmações”, concretizou, esclarecendo, entretanto, que a questão não se coloca ao nível do mérito dos profissionais da saúde.

“A questão coloca-se ao nível da liderança, da coordenação e da eficácia daqueles que têm a responsabilidade política e administrativa de executar medidas de política pública para a saúde”, enfatizou.

Enquanto profissional da saúde, Ana Paula Santos manifestou-se “completamente disponível” em continuar a apoiar os serviços de saúde,  ao mesmo tempo que apela a população para seguir as recomendações de higienização das mãos, uso de máscaras, manter o distanciamento recomendado e evitar aglomerações, para que esta luta “de todos” seja ganha.

SC/AA

Fonte: Inforpress